terça-feira, 25 de outubro de 2011

diferenças ocultas










Seita religiosa brasileira de origem africana. No Brasil, tomou o significado de magia negra, em oposição à umbanda, que representa as forças da magia branca. Na estrutura interna, a quimbanda e a umbanda são muito parecidas, sendo que a quimbanda conservou o aspecto mais original da religião africana e voltou-se mais para os mitos de terror dos folclores pagão e ameríndio. A quimbanda também não procurou adaptar-se à mitologia do catolicismo, como o candomblé. A natureza específica da quimbanda é muito ambígua, pois há casos de prática de quimbanda em terreiros de umbanda, por pequenos grupos.

A Quimbanda, também conhecida pelos leigos como macumba, é uma ramificação da umbanda que pratica a magia negra. Embora cultuem os mesmos Orixás e as mesmas entidades, se sirvam das mesmas indumentárias, e tenham em seus terreiros semelhanças muito marcantes tais como a presença de gongá repleto de imagens dos santos católicos simbolizando os orixás, caboclos e pretos velhos, existem entre as duas religiões diferenças fundamentais e decisivas. Uma delas é que na Quimbanda são realizados despachos com animais como galos e galinhas pretas por exemplo, pólvora, objetos da pessoa a quem se quer prejudicar, dentes, unhas ou cabelo de pessoas ou animais. Estes despachos costumam-se realizar à meia-noite em locais como encruzilhadas e cemitérios.
Outra prática bastante freqüente que também se encontra presente no vodu haitiano sob o nome de paket é o envultamento.Este, diz respeito à construção de um boneco de pano ou qualquer outro material, desde que pertencente à pessoa a quem quer se prejudicar, e a seguir alfinetes ou pregos são utilizados para transpassar o corpo da imagem. Os quimbandeiros têm como ponto principal de seu culto a invocação de Exus que na Quimbanda são considerados espíritos das trevas, uns já em estado de evolução, e outros, denominados quiumbas, espíritos atrasadíssimos e que por isso também são chamados obsessores.
A Quimbanda nunca deve ser confundida com a KIUMBANDA (magia negra), pois está presente na Umbanda desde a sua fundação pelo médium Zélio Fernandino de Morais já que o mesmo admitiu Exú como guia por ordens de seus guias.
A Quimbanda é onde atuam os Exús e Pomba-Giras (também chamados de “Povo de Rua”, eles fazem uso de forças negativas (isso não significa malignas), muitas vezes estão presentes em lugares onde possa ter Kiumbas (obsessores-seres malignos), em portas de templos religiosos de qualquer espécie, cemitérios , encruzilhadas, ruas e estradas.
Os Exús são os responsáveis pela segurança das pessoas, eles te ajudam a se protegem te espíritos obsessores, mas você também tem que ajudar evitando desequilíbrio emocional, excesso de bebidas alcólicas e etc.
Ao contrário do que muitos pensam na Quimbanda não é feito entregas (oferendas) com animais, sangue ou qualquer coisa do gênero, já que ao ser feita uma entrega com carne ou sangue a oferenda é cercada por kiumbas. Uma entrega para um Exú contém farofa de milho, cebola e pimenta (basicamente), podendo conter outras ervas e temperos e alguma bebida que geralmente é cachaça, uísque ou conhaque.
A umbanda se divide numa linha da direita, voltada para a prática do bem e que trata com entidades “desenvolvidas”, e numa linha da “esquerda”, a parte que pode trabalhar para o “mal”, também chamada quimbanda, e cujas divindades, “atrasadas” ou demoníacas, sincretizam-se com aquelas do inferno católico ou delas são tributárias. Esta divisão, contudo, pode ser meramente formal, como uma orientação classificatória estritamente ritual e com frouxa importância ética. Na prática, não há quimbanda sem umbanda nem quimbandeiro sem umbandista, pois são duas faces de uma mesma concepção religiosa. Reginaldo Prandi (1996, p.3)
Linhas da Quimbanda
Assim como há as sete linhas que regem e organizam as forças existentes dentro da Umbanda, dentro da Quimbanda o mesmo acontece e processa, pois como se sabe, ” tudo que há em cima, há em baixo.” Tendo esta Lei para se começar a entender o por que da existência das sete linhas da Umbanda e da Quimbanda, encontraremos meios de compreensão que estas linhas, estão em lados opostos e harmoniosamente equilibradas, permitindo desta maneira o equilíbrio perfeito resultante dos movimentos dos opostos, perpetuando pela quebra e restauração deste equilíbrio o movimento perpétuo e necessário para a existência em sua concepção maior.
As linhas da Quimbanda, assim como as linhas da Umbanda, são em numero de sete. Vejamos :
Linha Malei
Chefe – Exu Rei, é composta por 7 falanges, cada qual com seu chefe, e seus sete respectivos subordinados. Os componentes desta linhas são os componentes do Alto Comando do Povo de Exu, por este motivo é entendida como a linha que opera e comanda todas as decisões dentro do reino. Esta linha funciona com um alto conselho, uma alta cúpula que rege e administra o reino de Exu, seus componentes de apresentam sempre com roupagem de cor escura, cobertos por uma luz vermelha e sem brilho. Componentes da Linha Malei:
  1. Exu Rei das Sete Encruzilhadas
  2. Exu Marabô
  3. Exu Mangueira
  4. Exu Tranca Ruas das Almas
  5. Exu Tiriri
  6. Exu Veludo
  7. Exu dos Rios ou Campinas
Polo Passivo Pomba Gira – Pomba Gira Rainha das Sete Encruzilhadas
Linha das Almas
Chefe – Omulu, encontra-se nesta linha espíritos vulgarmente conhecidos como omulus, e isto se deve pelo fato de estarem este espíritos sob a égide de Omulu, tanto no Organograma, quanto diretamente subordinados a ele em sua linha, outro fato que vem elucidar o fato pelo qual estes espíritos são conhecidos pelo denominativo supra citado, é que estes tem por morada os cemitérios, onde também são realizadas suas entregas,são espíritos que se apresentam cobertos de pêlos, unhas em forma de garras, chifres e rosto semelhante à lobos e com olhos vermelhos. São os componentes desta linhas:
  1. Exu Mirim
  2. Exu Pimenta
  3. Exu 7 Montanhas
  4. Exu Ganga
  5. Exu Kaminaloá
  6. Exu Malê
  7. Exu Quirombô
Polo Passivo Pomba Gira – Pomba Gira das Almas
Linha do Cemitério ou dos Caveiras
Chefe – Exu Caveira, tendo sob sua responsabilidade as ações dos espíritos vulgarmente conhecidos como caveiras, sendo suas manifestações, não para todos estes elementos, na forma de esqueletos. Há sim, alguns destes espíritos que se apresentam e manifestam-se como esqueletos, porém não todos. O fato que outorgou-lhes o denominativo de caveiras é o simples fato de que estes espíritos trabalham e respondem obediência a Exu Caveira, também e pelo fato de que estes espíritos trabalham, e recebem suas oferendas dentro dos cemitérios. São os componentes desta linha:
  1. Exu Tatá Caveira
  2. Exu Brasa
  3. Exu Pemba
  4. Exu do Lodo
  5. Exu Carangola
  6. Exu Arranca Toco
  7. Exu Pagão
Polo Passivo Pomba Gira – Pomba Gira Rainha dos Cemitérios
Linha Nagô
Chefe – Exu Gererê, os espíritos que são os componentes desta linha são exímios entendidos na pratica da magia, seja astral, seja natural ou qualquer outra forma ou modalidade a eles requisitados. Sua atuação principal é dentro da magia vodu, muito conhecida a nível superficialissímo, sendo esta modalidade da magia, ensinada a pouquíssimos iniciados, haja vista sua complexidade, sua extrema e perigosíssima eficiência, que em mãos erradas podem resultam grandes e as vezes irreversíveis conseqüências, tanto ao operador quanto a infeliz vítima. Quero deixar claro que a magia vodu pode ser amplamente requisitada e usada para fins maléficos, na qual obtém resultados rápidos e por demais eficientes, contudo a magia vodu também, e deveria assim ser, utilizada para fins benéficos e virtuosos. Os espíritos que se apresentam dentro desta linha são denominados vulgarmente de “Gangas”. Este fato é existente pelo pouco conhecimento que se tem que o chefe desta linha é Exu Gererê, ou seja é ele um Exu pouco conhecido, apresenta-se sempre com uma armadura, carregando um tridente e uma espada, porém confundido com Exu Ganga, que por sua vez, é por demais conhecido dentro das giras Umbandistas e Quimbandistas, e é este Exu, elemento desta forte e perigosa linha da Quimbanda. São os elementos desta linha:
  1. Exu Quebra Galho
  2. Exu 7 Cruzes
  3. Exu Gira Mundo
  4. Exu dos Cemitérios
  5. Exu da Capa Preta
  6. Exu Curador
  7. Exu Ganga
Polo Passivo Pomba Gira- Pomba Gira Maria Padilha
Linha de Mossorubi
Chefe – Kaminaloá, os espíritos que se apresentam dentro desta linha possuem um especialidade real para os males de origem espiritual que por ventura venham causar perturbações dentro da mente do ser humano. São os elementos desta linha exímios conhecedores da mente humana e por esta razão são evocados para realizarem os mais diverso tipos de trabalhos onde se necessite o tratamento mental ou desenvolvimento mental para se conseguir os objetivos do operador. São os elementos que compõe esta linha:
  1. Exu dos Ventos
  2. Exu dos Morcego
  3. Exu 7 Portas
  4. Exu Tranca Tudo
  5. Exu Marabá
  6. Exu 7 Sombras
  7. Exu Calunga
Polo Passivo Pomba Gira – Pomba Gira Maria Molambo
Linha dos Caboclos Quimbandeiros
Chefe – Exu Pantera Negra, conhecido por este nome devido à sua enorme coragem e força para vencer demandas e realizar os mais terríveis trabalhos de magia, além de ter o poder de curar até doenças tidas como incuráveis, também possui o poder de enriquecer quem a ele recorrer, esta linha possui este denominativo não é atoa, pois os espíritos que compõe esta linha se apresentam como se fossem caboclos, índios americanos enfim, tendo especialidade em trabalhos de cura e desobsidiação, além de favorecerem as riquezas materias e tesouros, são exímios guerreiros, a maioria delas pertencem a antiga tribo Sherokee dos E.U.A. Assim como ocorre em todas as linhas, é esta composta por sete falanges, cada uma com seu respectivo chefe, que por sua vez comanda outras sete legiões, onde se divide novamente em sete falanges, novamente, cada falange com sete chefes e assim sucessivamente até certo limite. São os elementos desta linha:
  1. Exu 7 Cachoeiras
  2. Exu Tronqueira
  3. Exu 7 Poeiras
  4. Exu da Matas
  5. Exu 7 Pedras
  6. Exu do Cheiro
  7. Exu Pedra Negra
Polo Passivo Pomba Gira – Pomba Gira da Figueira
Linha Mista
Chefe – Exu dos Rios ou Campinas. Possui este denominativo, pelo fato de que os espíritos que compõe esta linha não são Exus, mas sim Kiumbas, ou seja, espíritos desencarnados, espíritos de mortos, que servem a Exu. Estes espíritos se encontram nestas condições por fatores que não correspondem ao assunto proposto por esta página. Estes espíritos que trabalham dentro desta linha são os responsáveis pelas obsidiações ou obsessões, excitando várias doenças que por serem causadas a nível espiritual, não são diagnosticadas pelos médicos encarnados, o que torna estas doenças impossíveis de serem curadas pelos métodos da ciência profana. Chegam a causar loucura, estados mentais de perturbações diversas. Mas aqui vai um lembrete: Os Agentes Mágicos são em verdade forças cegas, e assim sendo cabe ao operador direcioná-la da maneira melhor possível, tendo em mente sempre a infalível Lei do Retorno. Sendo esta Linha composta por Kiumbas, é esta apenas regida pelo Exu dos Rios ou Campinas, tendo como polo passivo da linha, Pomba Gira, ou seja todas as Pomba Giras.
Relações existentes entre as Linhas da Quimbanda e Umbanda
Uma vez se entendendo que há uma perfeita harmonia entre as ações dos elementos que compõe as linhas da Quimbanda e da Umbanda, cada elemento destes há um paralelo, um elo de ligação entre a Umbanda e a Quimbanda.
Vejamos entre as Linhas primeiramente:
UMBANDAQUIMBANDA
Linha de OxaláLinha Malei
Linha de OgumLinha do Cemitério
Linha de OxóssiLinha dos Caboclos Quimbandeiros
Linha de XangôLinha de Mossorubi
Linha de YorimáLinha da Almas
Linha de IbêjiLinha Mista
Linha de YemanjáLinha Nagô
A Quimbanda é uma dimensão oposta a umbanda. Todos os elementos das luzes têm o equivalente negativo no mundo das trevas. As sete linhas da Umbanda representam as sete linhas da Quimbanda comandadas por exus.
UMBANDAQUIMBANDA
Linha de OxaláExu 7 encruzilhadas
Linha de IemanjáExu Pomba-Gira
Linha de OgumExu Tranca-Ruas
Linha de XangôExu Gira-Mundo
Linha de OxossiExu Marabô
Linha das criançasExu Tiriri
Linha de Preto velhosPinga-Fogo
Ritual
O principal ritual da Quimbanda consiste na invocação de espíritos. Sessões, que na Umbanda são Giras de crianças, caboclos [as], pretos e pretas velhos, na Quimbanda são Giras de exus. Os quimbandeiros trabalham exclusivamente com estas entidades que pertencem ao domínio astral daquele primeiro Exu criado por Nzambi na origem do Universo manifestado.
Na Quimbanda, assim como na Umbanda e no Candomblé, não se admite a possibilidade de comunicação direta entre Deus e os homens. Somente os espíritos invocados pelos Tatás, Babás, Ngangas, enfim, sacerdotes/xamãs, somente esses espíritos podem intermediar o contato entre o físico e o metafísico, o visível e o invisível. Assim, todo sacerdote Quimbanda é um medium que incorpora Exus, os executores dos trabalhos que interferem na realidade, na vida das pessoas, seja para o bem ou para o mal.
Exu na Lei da KIMBANDA – Angola
A Lei da KIMBANDA vem dos bantos, dos povos Angola-Congo. A “misturança”, ou ainda podemos dizer “sincretismo” entre o Exu-iorubá, os Ngangas e Tatás (almas de chefes kimbandeiros das nações bantas) foi o que deixou esse ar de confusão no povo, que muitos até mesmo sendo “feitos na KIMBANDA”, não entendem, ou o que é pior, tratam-no de diabo. Na verdade, o Exu da KIMBANDA não é o Exu-Iorubá (Orixá ou Imalé dessa cultura). Os Espíritos que chegam na linha da KIMBANDA são espíritos de Ngangas ou Tatás, aqueles que quando encarnados na terra eram sacerdotes bantos adoradores de algum Nkisi ou Npungu.
No Brasil, o culto aos Npungus e Nkisis através dos seus mensageiros – os Ngangas – foi misturado na escravidão com o culto aos Encantados e aos pajés (da cultura tupi-guarani) e também com o dos Iorubás, surgindo os seguintes novos cultos, fruto da miscelânea: Makumba – que vem de “ma-kiumba” (espíritos da noite). Foi assim chamado o mais primitivo culto sincretista no sul do Brasil (e o primeiro originado no Brasil), dada sua maior preponderância banto; é dela que descendem os outros cultos afro-brasileiros com influência das nações Angola-Congo, Tupi-guarani, Nagô e a Igreja, nessa ordem. A razão de se chamar makiumba (logo após por deturpação da palavra ficaria makumba ou macumba) foi justamente, porque é um culto que se faz na noite, onde se deveriam chamar necessariamente os espíritos da noite (almas de outros sacerdotes do culto – Eguns ou Ancestrais). No culto iorubano-nagô conhece-se e rende-se culto aos Ancestrais-Egun, porém eles são afastados dos rituais aos Orixás, tentando ter um contato com outro tipo de energia. Isto contribuiu para que os rituais onde se chamavam os eguns fossem menosprezados, tratados pejorativamente e mal interpretados.
Por outro lado, a Igreja também condenava os cultos com influência índio-banto onde se fazia beberagem e supostamente “orgias”.
Na verdade, as danças bantús eram no Brasil e ainda são na África, bastante eróticas, e também é verdade que os Guias bebem e fumam, porém é muito distante de ser uma orgia ou uma bebedeira. Depois, quando os grupos de nações começaram a procurar sua identidade, dividiram-se os principais componentes da makumba, aparecendo: Candomblé de Angola; Candomblé de Congo; Candomblé de Caboclo ou dos Encantados; Catimbó; – todos eles à procura de uma raiz cultural – e também, ao final do século XIX surgem da macumba urbana, (onde se tinha muita participação dos brancos pobres e os descendentes de escravos) a Umbanda e a KIMBANDA com influências para o Espiritismo e com muito sincretismo. Na KIMBANDA, permaneceu grande parte do culto aos Ngangas da nação Angola-Congo, porém misturado com o diabo (pelas influências dos mitos e tabus dos próprios integrantes – que não tinham conhecimento das origens) e também embaixo do pé do Orixá Iorubá Exu.
HIERARQUIA INFERNAL
REINOS DE EXU NA KIMBANDA
A KIMBANDA tem sete reinos, sendo sua organização remanescente das organizações tribais em reinos na África Banto. Cada Reino é composto por nove povos de Exu, sendo que cada povo é comandado por um Exu-Chefe.
POVOS DE EXU NA KIMBANDA
Em cada reino existem 9 povos, sendo um total de 63 povos de Exu. A seguir oferecemos uma lista com os povos que pertencem a cada reino:
Reino das Encruzilhadas
Chefiado por Exu Rei das Sete Encruzilhadas e Pombagira Rainha das Sete Encruzilhadas, governa todas as passagens dos Exus que ali trabalham. Sua função principal é abrir os caminhos para os outros Guias chegarem e também para os filhos e fregueses.
POVO DA ENCRUZILHADA DA RUAChefe Exu Tranca-Ruas
POVO DA ENCRUZILHADA DA LIRAChefe Exu Sete Encruzilhadas
POVO DA ENCRUZILHADA DA LOMBAChefe Exu das Almas
POVO DA ENCRUZILHADA DOS TRILHOSChefe Exu Marabô
POVO DA ENCRUZILHADA DA MATAChefe Exu Tiriri
POVO DA ENCRUZILHADA DA KALUNGAChefe Exu Veludo
POVO DA ENCRUZILHADA DA PRAÇAChefe Exu Morcego
POVO DA ENCRUZILHADA DO ESPAÇOChefe Exu Sete Gargalhadas
POVO DA ENCRUZILHADA DA PRAIAChefe Exu Mirim
Reino dos Cruzeiros
Chefiado pelo Exu Rei dos Sete Cruzeiros e Pombagira Rainha dos Sete Cruzeiros, governa todas as passagens dos Exus que trabalham nos cruzeiros (não confundir com encruzilhada).
POVO DO CRUZEIRO DA RUAChefe Exu Tranca Tudo
POVO DO CRUZEIRO DA PRAZAChefe Exu Kirombó
POVO DO CRUZEIRO DA LIRAChefe Exu Sete Cruzeiros
POVO DO CRUZEIRO DA MATAChefe Exu Mangueira
POVO DO CRUZEIRO DA KALUNGAChefe Exu Kaminaloá
POVO DO CRUZEIRO DAS ALMASChefe Exu Sete Cruzes
POVO DO CRUZEIRO DO ESPAÇOChefe Exu 7 Portas
POVO DO CRUZEIRO DA PRAIAChefe Exu Meia Noite
POVO DO CRUZEIRO DO MARChefe Exu Kalunga (Kalunga grande)
Reino das Matas
Chefiado pelo Exu Rei das Matas e Pombagira Rainha das Matas. Governa todos os Exus que trabalham nas matas ou locais que tenham árvores a exceção do Cemitério, que pertence a outro reino.
POVO DAS ÁRVORESChefe Exu Quebra Galho
POVO DOS PARQUESChefe Exu das Sombras
POVO DA MATA DA PRAIAChefe Exu das Matas
POVO DAS CAMPINASChefe Exu das Campinas
POVO DAS SERRANIASChefe Exu da Serra Negra
POVO DAS MINASChefe Exu Sete Pedras
POVO DAS COBRASChefe Exu Sete Cobras
POVO DAS FLORESChefe Exu do Cheiro
POVO DA SEMENTEIRAChefe Exu Arranca Tôco
Reino da Kalunga
Chefiado pelo Exu Rei das Sete Calungas ou Kalungas e Pombagira Rainha das Sete Kalungas. Esses Exus também são chamados pelo nome de Rei e Rainha dos Cemitérios. Geralmente quando se diz “calunga” nas giras de KIMBANDA é para nomear ao cemitério. Trabalham neste reino todos os Exu que moram dentro dos cemitérios exclusivamente.
POVO DAS PORTAS DA KALUNGAChefe Exu Porteira
POVO DAS TUMBASChefe Exu Sete Tumbas
POVO DAS CATACUMBASChefe Exu Sete Catacumbas
POVO DOS FORNOSChefe Exu da Brasa
POVO DAS CAVEIRASChefe Exu Caveira
POVO DA MATA DA KALUNGAChefe Exu Kalunga (conhecido também como Exu dos Cemitérios)
POVO DA LOMBA DA KALUNGAChefe Exu Corcunda
POVO DAS COVASChefe Exu Sete Covas
POVO DAS MIRONGAS E TREVASChefe Exu Capa Preta (conhecido também como Exu Mironga)
Reino das Almas
Chefiado por Exu Rei das Almas Omulu e Pombagira Rainha das Almas. Eles também são conhecidos por Rei e Rainha da Lomba, porque governam todos os Exus que trabalham em locais altos. Porém, os Exus deste reino também trabalham em hospitais, morgues, etc.
POVO DAS ALMAS DA LOMBAChefe Exu 7 Lombas
POVO DAS ALMAS DO CATIVEIROChefe Exu Pemba
POVO DAS ALMAS DO VELÓRIOChefe Exu Marabá
POVO DAS ALMAS DOS HOSPITAISChefe Exu Curadô
POVO DAS ALMAS DA PRAIAChefe Exu Giramundo
POVO DAS ALMAS DAS IGREJAS E TEMPLOSChefe Exu Nove Luzes
POVO DAS ALMAS DO MATOChefe Exu 7 Montanhas
POVO DAS ALMAS DA KALUNGAChefe Exu Tatá Caveira
POVO DAS ALMAS DO ORIENTEChefe Exu 7 Poeiras
Reino da Lira
Os chefes deste reino são muito mais conhecidos por seus nomes sincréticos: Exu Lúcifer e Maria Padilha, sendo na verdade seus nomes kimbandeiros Exu Rei das Sete Liras e Rainha do Candomblé (ou Rainha das Marias). Seus apelidos kimbandeiros mostram justamente sua afinidade pela dança, a música e a arte (lira e candomblé). Dentro do reino da Lira, que também às vezes é chamado “reino do candomblé” não pelo culto africanista aos orixás, senão por ser essa palavra o sinônimo de dança e música ritual. Trabalham aqui todos os Exus que tem que ver com a arte, a música, poesia, boemia, artes ciganas, malandragem, etc.
POVO DOS INFERNOSChefiado por Exu dos Infernos
POVO DOS CABARÉSChefiado por Exu do Cabaré
POVO DA LIRAChefiado por Exu Sete Liras
POVO DOS CIGANOSChefiado por Exu Cigano
POVO DO ORIENTEChefiado por Exu Pagão
POVO DOS MALANDROSChefiado por Exu Zé Pelintra
POVO DO LIXOChefiado por Exu Ganga
POVO DO LUARChefiado por Exu Malé
POVO DO COMÉRCIOChefiado por Exu Chama Dinheiro
Reino da Praia
Chefiado pelo Exu Rei da Praia e Rainha da Praia. Dentro dele encontram-se todos os Exus que trabalham nas praias, perto d’agua o ainda dentro dela, podendo ser salgada ou doce.
POVO DOS RIOSChefiado por Exu dos Rios
POVO DAS CACHOEIRASChefiado por Exu das Cachoeiras
POVO DA PEDREIRAChefiado por Exu da Pedra Preta
POVO DO MARINHEIROSChefiado por Exu Marinheiro
POVO DO MARChefiado por Exu Maré
POVO DO LODOChefiado por Exu do Lodo
POVO DOS BAHIANOSChefiado por Exu Bahiano
POVO DOS VENTOSChefiado por Exu dos Ventos
POVO DA ILHAChefiado por Exu do Côco
Pomba Gira
Chamada de Pombagira, Bombogira, Exu-mulher ou ainda Bomobonjira é conhecida a Entidade feminina da KIMBANDA. Esta forma de chamar para Ela é sem dúvida pela influência banta (Angola). A Entidade banta Aluvaiá-Pombagira foi então submetida à Entidade iorubana Exu, sendo colocada como sua mulher.
Na KIMBANDA, devemos dizer que a Pombagira representa o poder feminino feiticeiro, comparável com as Iyami Oxorongá dos iorubás. Ela pode ter muitos maridos, que tornam-se seus “escravos” ou empregados. Na concepção da KIMBANDA, todas as Entidades são duplas, é dizer, cada uma delas pode se apresentar em baixo da aparência de homem ou mulher. Por seu lado, os Exu-homens podem ter muitas mulheres, as quais passam a ser suas escravas ou empregadas. É muito comum usar o número 7 (sete) para dizer quantas mulheres ou homens pode ter uma Entidade, isso é assim, por ser um numero cabalístico e mágico.
Cada Exu-homem da KIMBANDA tem sua parte feminina ou contrapartida, que na verdade são a mesma Energia em baixo de aparências distintas, temos assim:
  • Exu Rei das Encruzilhadas / Pombagira Rainha das Encruzilhadas;
  • Exu das Matas / Pombagiras das Matas;
  • Exu Giramundo / Pombagira Giramundo;
  • Exu do Cravo Vermelho / Pombagira da Rosa Vermelha;
  • Exu Mulambo / Pombagira Maria Mulambo;
  • Exu Sete Capas / Pombagira Sete Saias;
  • Exu 7 Estrelas / Pombagira 7 Estrelas; etc.
Cada pessoa tem pelo menos um par de Exus que age e mora perto dela desde o dia do nascimento. Que um homem tenha como Guia uma Pombagira (que incorpore nele) não quer dizer que ele vai se tornar homossexual, ou vai mudar seu gosto pelas mulheres, como muitos pensam; nada disso, ele vai seguir sendo o mesmo homem de sempre. O mesmo é para as mulheres que tiverem um Exu. Isso é para os casos onde se puxa somente uma das duas Entidades da KIMBANDA que possui cada um como mínimo, pois existem muitas casas onde são puxadas as dois (Exu-homem e Pombagira), sendo que tampouco eles vão influir na definição sexual da pessoa. O que acontece é que muitos se aproveitam para colocar as culpas em Exu. Pode acontecer também que alguma pessoa tenha duas pombagiras e dois exus, um par de exus que estava submetido aos espíritos evangelizados e que logo após foi liberada, e uma parelha de exus que se apresentou sem estar sob o comando da umbanda.
Quando incorporada no cavalo, a pombagira mostra-se quase sempre bonita, feminina, amável, elegante, sedutora, mais também tem vidência, é certeira e sempre tem algum conselho para aqueles que estão sofrendo por um amor. Ela gosta das bebidas suaves : vinhos doces, licores, cidra, champagne, anis, etc. E gosta dos cigarros e cigarrilhas de boa qualidade, assim como também lhe atrai o luxo, o brilho e o destaque. Usa sempre muitos colares, anéis, brincos, pulseiras, etc. Sendo que existem milhares de pombagiras, e que cada uma tem sua própria pessoalidade, e torna-se muito difícil uma descrição geral.
Suas oferendas levam ovos, maçãs, morangos, perfumes, pentes, espelhos, flores (especialmente rosas – nunca botões), bebidas, cigarros, etc.
As principais pombagiras em ordem hierárquica são as correspondentes às sete passagens da representação feminina de Exu Rei, Pombagira Rainha, após temos 63 pombagiras chefas, sendo cada uma delas a contrapartida de algum dos Exu chefes que já apresentamos na parte onde falamos dos povos de Exu.
As funções principais de Pombagira são as de ajudar os seus em todos os casos de amor, mas também é usada a sua força para desmanchar feitiços, para pedir proteção e curar várias doenças.
GENERALIDADES DE ALGUNS EXUS
Deixamos claro que quando falamos de alma encarnação de um determinado Exu, isso não indica que faz alusão a todos os que se apresentam com este nome, sendo que se trata de um caso específico sobre o qual estamos falando. Os Exus que chegan aos médiuns são pessoais, portanto, suas vivências e encarnações são únicas. Devem sim, ter algo em comum com a falange da qual representam e também possuir uma base sólida.
Temos constatado que muitas narrativas baseadas em dados por algum Exu pessoal têm se estendido e se generalizado para todos os que chegam com este nome em outros médiuns, o que é um erro.
- Outros Exus -
EXU ANGOLAQue pertence ao povo das Almas do Cativeiro
EXU COBRA PRETAPertence ao povo das Cobras que trabalha dentro do Reino das Matas
EXU COME-FOGORonda nas cercanias dos crematórios e pertence ao povo do forno
EXU COQUINHO DOS INFERNOSQue integra o grupo do Povo dos Infernos (dentro do Reino da Lira)
EXU DA ESTRADAQue trabalha nas rotas e estradas (povo do Cruzeiro da Rua)
EXU DA LAMATem a incumbência onde há incêndios e faz parte do Povo do Forno
EXU DALVAPertence ao Povo do Cruzeiro do Espaço. Gosta de trabalhar quando está amanhecendo e recebe as oferendas em terrenos abertos
EXU DO ARTrabalha sob o comando de Exu dos Ventos
EXU FORMIGAPertence ao Povo das Campinas, mora perto dos formigueiros onde procura um de seus alimentos prediletos: as formigas
EXU GATOPrefere trabalhar nas encruzilhadas dos montes
EXU GERERÊTrabalha dentro do mar, pertence ao povo dos pescadores, de fato, seu nome significa “red” em linguagem banto
EXU HORA-GRANDEOutro tipo de nome que se usa para referir-se a Exu Meia-Noite
EXU KOLOBÔQue trabalha nos cemitérios e ataca condolências, pertence ao povo das mirongas
EXU LALUTrabalha nas encruzilhadas da praia sob as ordens de Exu Mirim
EXU LIMPA-TRILHOSTrabalha nas vias de trem abrindo os caminhos, pertence ao povo da Encruzilhada de Trilhos e seu chefe direto é o Exu Marabô
EXU MANGUEVive nos mangues
EXU DO PANTANALpertence ao povo do Lodo
EXU PINGA-FOGOQue pertence ao povo dos Fornos ou do Fogo (povo do fogo material)
EXU RELÂMPAGOTrabalha no povo da Encruzilhada do Espaço (pontos cardinais), sob as ordens de Seu Sete Gargalhadas
EXU SETE HORASQue pertence ao povo do Cruzeiro do Espaço
EXU TIRA-TÔCOTrabalha nos montes de Eucaliptos a beiradas do mar. Pertence ao povo da mata da praia
EXU TRANCA-GIRATrabalha nos cruzeiros sob as ordens de Exu Tranca Tudo
POMBAGIRA DA TERRATrabalha nos cemitérios
POMBAGIRA ROSÁRIATrabalha nos mercados e feiras
POMBAGIRA SETE FOLHASPertence ao povo das árvores e trabalha na entrada dos montes
OFERECEMOS TAMBÉM A SEGUINTE LISTA:
  • Exu Aleba
  • Exu Apavenã
  • Exu Banzé
  • Exu Bara
  • Exu Bauru
  • Exu Boca de Fogo
  • Exu Caçamba
  • Exu Candô
  • Exu Casamenteiro
  • Exu Chico Preto
  • Exu da Figueira
  • Exu da Guiné
  • Exu da Laranjeira
  • Exu da Limeira
  • Exu do Congo
  • Exu do Mar
  • Exu Espeto
  • Exu Folha Seca
  • Exu Gibóia
  • Exu João Caveira
  • Exu João da Bahia
  • Exu João das Almas
  • Exu João Kalunga
  • Exu João Mandinga
  • Exu João Mironga
  • Exu João Pepeu
  • Exu Laborê
  • Exu Loá
  • Exu Lofe
  • Exu Lonã
  • Exu Madeiro
  • Exu Maiô
  • Exu Mareiro
  • Exu Maromba
  • Exu Marujo
  • Exu Matança
  • Exu Miloá
  • Exu Mirô
  • Exu Olho Grande
  • Exu Panteira
  • Exu Pedra roxa
  • Exu Pena de Coruja
  • Exu Pena de Urubu
  • Exu Pena Preta
  • Exu Pimenta
  • Exu Rebolo
  • Exu Serapião
  • Exu Sete Baforadas
  • Exu Sete Dias
  • Exu Sete Facas
  • Exu Sete Montes
  • Exu Sete Pregos
  • Exu Tata Ndaí
  • Exu Tatalá
  • Exu Tatu
  • Exu Tibiri
  • Exu Tira-Teima
  • Exu Toquinho
  • Exu Treme Terra
  • Exu Três Encruzilhadas da Perdição
  • Exu Três Penas
  • Exu Tronco
  • Exu Tronqueira
  • Exu Trovoada
  • Exu Tuniquinho
  • Pombagira Akiesan
  • Pombagira Aruá
  • Pombagira Carangola
  • Pombagira da Lomba
  • Pombagira das Cachoeiras
  • Pombagira das Cobras
  • Pombagira das Flores
  • Pombagira de Belém
  • Pombagira de Maceió
  • Pombagira de Mafia (da Ilha de Mafia na África)
  • Pombagira de Pemba (da Ilha de Pemba naÁfrica)
  • Pombagira Detê
  • Pombagira do Bananal
  • Pombagira do Jardim
  • Pombagira do Luar
  • Pombagira do Oriente
  • Pombagira do Rio
  • Pombagira do Sol e da Lua
  • Pombagira Ganzá
  • Pombagira Kirombô
  • Pombagira Maleva
  • Pombagira Maria Alagoana (de Alagoas)
  • Pombagira Maria Bahiana (da Bahia)
  • Pombagira Maria Colodina
  • Pombagira Maria da Praia
  • Pombagira Maria das Almas
  • Pombagira Maria de Minas (de Minas)
  • Pombagira Maria Farrapos
  • Pombagira Maria Lixeira
  • Pombagira Maria Mulambo
  • Pombagira Maria Navalha
  • Pombagira Maria Quitéria
  • Pombagira Maria Rosa
  • Pombagira Maria Tunica
  • Pombagira Moça Bonita
  • Pombagira Mundana
  • Pombagira Rosa Amarela
  • Pombagira Rosa Caveira
  • Pombagira Rosa Preta
  • Pombagira Rosa Roxa
  • Pombagira Rosinha
  • Pombagira Sete Chocalhos
  • Pombagira Sete Cores
  • Pombagira Sete Estrelas
  • Pombagira Sete Maridos
  • Pombagira Sete Ondas
  • Pombagira Sete Saias
  • ETMOLOGIA: QUIMBANDA / KIMBANDA: s.m. Em Angola, adivinho ou médico indígena de Benguela. Bras. Pai de terreiro do culto banto, ao mesmo tempo médico, feiticeiro e adivinho.   S.f. Bras. Terreiro em que se pratica macumba.   Seita religiosa brasileira de origem africana. No Brasil, tomou o significado de magia negra, em oposição à umbanda, que representa as forças da magia branca.   Na estrutura interna, a quimbanda e a umbanda são muito parecidas, sendo que a quimbanda conservou o aspecto mais original da religião africana e voltou-se mais para os mitos de terror dos folclores pagão e ameríndio. A quimbanda também não procurou adaptar-se à mitologia do catolicismo, como o candomblé. A natureza específica da quimbanda é muito ambígua, pois há casos de prática de quimbanda em terreiros de umbanda, por pequenos grupos.   ORIGEM:   REGISTRA A GRAMÁTICA DE KIBUNGO, DO PROFESSOR JOSÉ L. QUINTÃO, PÁGINA 107:       UMBANDA arte de curar   QUIMBANDA quer dizer o curandeiro.   Vamos observar também as várias definições de QUIMBANDA ou KIMBANDA.       QUIMBANDA tem sua fonte de origem no QUIMBUNDO. que é uma mistura de dialetos africanos, criado pelo governo para ser ensinado nas escolas das colônias portuguesas, afim de que todos angolenses se entendessem entre si nas regiões tribais de angola e moçambique.      BASEADO NESTA ESTRUTURA VEJAMOS:       QUIM ou KIM, quer dizer em linguagem africana, médico ou grão-sacerdote dos cultos BANTOS.        BANDA quer dizer LUGAR ou CIDADE.       Resumindo, chegamos à conclusão de que em nosso idioma, quimbandeiro quer dizer grão-sacerdote dos cultos bantos, vindos de angola, moçambique e benguela.       QUIMBANDA = curandeiro-adivinho, necromante, exorcista, mago. por extensão: médico, benzedeiro. todo aquele que busca a anunciação e interpretação dos fatos, através dos mais variados processos.      QUIMBANDA trata as enfermidades diagnosticadas por adivinhação, debela os azares, restabelece a harmonia conjugal ou provoca a inimizade, concede poderes para o domínio do amor ou para a anulação de demandas.                 Busca a cura, nas matas ou campos, cachoeiras, mares, enfim nos elementos da natureza, aonde vai em busca de plantas medicinais.       KIMBANDA = Curandeiro, Mágico. (DICIONÁRIO DE KIMBUNDU – PORTUGUESA COORDENADO POR J. D. CORDEIRO DA MATTA)   O QUE É KIMBANDA?       Quimbanda ou Kimbanda não é simplesmente mais uma das linhas existentes dentro dos cultos afro-brasileiros, suas influências não são somente Bantu, Nagô e Yorubá, também abrangem em larga escala vários aspectos da Religião Indígena, Católica,  o Espiritismo moderno, a alquimia, o estudo da natureza fundamental da realidade e Correntes Orientais.      É importante lembrar que o sincretismo entre Exú e o Diabo existe, salvaguardando várias confusões ao verificar que atualmente muitas pessoas pensam que a Quimbanda é um culto satânico ou Magia Negra, tendo aquele sentimento de dualidade aonde as pessoas vêem o bem e o mal em uma luta eterna confundindo a figura do Diabo com tudo de ruim sem lembrar que Ele já teve seu martírio e foi vencido por Deus que é Quem determina o espectro e a liberdade de suas ações desde o princípio dos tempos…
    ONDE ENCONTRAR A KIMBANDA?
    Você já procurou um CENTRO DE QUIMBANDA, escrito na fachada “quimbanda” ou “Kimbanda”, você sabe onde fica a FEDERAÇÃO BRASILEIRA DE KIMBANDA? (Certamente um centro sério registrado: Não existe).
    Certamente não vai encontrar, porque a quimbanda é uma ramificação da umbanda, a quimbanda não existe fisicamente, ela é uma entidade astral, quartel general dos exús, das falanges, dos exércitos, da infantaria, que desce nos planos mais baixos e inferiores, para enfrentar os espíritos trevosos e buscar espíritos que queiram se redimir e voltar para o ciclo evolutivo.
    Kimbanda é usada como símbolo do mal por pessoas mãs, por seres quer encarnados ou desencarnados, que deturpam o uso da terminologia por culpa dos próprios donos de terreiros (babalorixás), que não se interessam pelo lado esotérico. Por despreparo, lidam com Kiumbas que se dizem Exús, e neste caso a idéia no plano físico passa erroneamente.
    Kiumbas são espíritos desencarnados, trevosos, com mã índole. Mas também existem “kiumbas” encarnados, que são os que fazem a MAGIA NEGRA, que procuram por essas forças, que se deixam levar por elas, que querem explorar os outros, ter vantagens materiais. Esses dão asas ao velho mito de Mefistófeles e Fausto de Goethe: Vendem a alma ao demônio.
     A FUNÇÃO DA KIMBANDA: Tida como sinônimo de magia negra ou de baixo espiritismo, a Kimbanda é, no seu sentido mais básico, tão somente a contraparte da Lei de Umbanda, ou as aplicações da Lei ao Mundo da Forma.   A palavra Kimbanda se traduz segundo a Lei do Verbos como o Conjunto oposto da Lei. De fato a Kimbanda exerce um papel contrário aUmbanda, embora no sentido de equilíbrio, uma vez que o Universo e suas Leis se baseiam na harmonia dos opostos.   Se existem Sete Planos ou vibrações na Umbanda, a Kimbanda é composta de Sete planos opostos, sendo a união destes dois planos o que torna a frase esotérica “o que está em baixo é semelhante ao que está em cima” com seu sentido pleno. Tal Lei é representada da seguinte forma:
    O triângulo com o vértice apontando para cima significa:
    o triângulo com o vértice apontando para baixo significa:
    o que está em cima a Luz que parte do ponto para a abrangência de cima para baixo. A oração aos senhores da Luz, em analogia com as duas mãos unidas para cima; (em verdade, o ato reproduz a geometria cósmica) o Karma ativo. Este sinal relaciona-se aUmbanda.
    o que está embaixo - as ordens de cima ou a Lei em execução; a bênção das hierarquias superiores ao indivíduo, ou a súplica do indivíduo aos seres superiores; o Karma Passivo; as duas mãos unidas para baixo, em oração aos senhores da Forma; Este sinal relaciona-se a Kimbanda.
      Os dois sobrepostos, reunidos formando um HEXAGRAMA simbolizam a harmonia entre os OPOSTOS.   O resgate e a ascenção de todas as almas rumo a espiritualidade. Pois em verdade aquele que se encontra em grau mais alto possui um correspondente em grau mais baixo. Esta simbologia refere-se ainda, a não estaticidade da evolução, pois não existem dores e tampouco infernos eternos, uma vez que. se a evolução é infinita, aquele que se situa no ponto mais alto, ao evoluir, leva consigo todo o sistema. sendo que o que está no grau mais baixo, por sintonia. também subirá.   Mas como surgiu a Kimbanda? Após a descida do Ser Espiritual ao Universo Astral, vários desses espíritos tomaram-se marginais cósmicos, pois traziam dentro de si a revolta. a insubmissão e o ódio. Por afinidade. estes seres foram atraídos às zonas internas de planetas semelhantes a Terra em seus locus subcrostais (umbral), habitando a contraparte astral destes ambientes é lógico.   Bem estes ditos como “Marginais Cósmicos” não podiam ficar por aí a vagar dentro de um círculo pernicioso tanto a suas consciências quanto a de outros seres. Estes tinham de ser trazidos de volta à Luz e ao caminho da paz e da harmonia. sendo que tal condição deveria ser alcançada por eles através de seus próprios atos, direcionando-os a aprender por força das variações do Karma a conquistar esta harmonia, primeiro interiormente e depois exteriormente com as “forças Cósmicas“. 
    OS EXÚS:
    Muitos anos de incompreensão religiosa, aliados a um sincretismo mal feito com a doutrina católica e um aprendizado incompleto dos novos Babalorixás (donos de terreiros), são os principais motivos para a deturpada visão que ainda hoje se tem do Exu. Mas bem diferente do diabo cristão, essa entidade do panteão africano tem fundamental importância, interligando e dinamizando os diversos planos em que se divide a Criação. Aliás toda pessoa tem seu Exu particular, responsável pela força necessária ao seu desenvolvimento.” – Afirma Ari Moraes em seu artigo  da Revista Candomblé e Umbanda. – Revista Planeta.
    Em nosso sistema solar, os sete guardiões da Luz para as sombras, os Sete Exús Planetários se encarregaram de arrebanhar milhões de almas insubmissas e colocá-las na Roda das Reencarnações, para que estes adquirissem o equilíbrio há muito perdido. Muitos. após reencarnarem dezenas de vezes conseguiram recuperar o equilíbrio próprio. sendo que agora regenerados, foram chamados a trabalhar dentro da faixa vibratória afim aos Sete Guardiões da Luz para as Sombras, sendo esta a oportunidade que teriam para se reajustarem definitivamente com as Leis Universais.

    Assim surgiram após se erguerem das noites escuras do erro, depois de passarem por uma completa reabilitaçâo, aqueles que seriam chamados de Agentes da Justiça e da Disciplina Kármica - Exú de Umbanda. É por isso seu trabalho voltado ao terra-a- terra e as zonas subcrostais , onde combate e impede que entidades ainda presas às correntes do ódio e do rancor se infiltrem nos locais que não lhes dizem respeito. Os Exús conhecem a mentalidade e o modo de agir destes seres, pois que muitos já foram magos negros. e agora trabalham na reabilitação destas outras almas ainda endividadas e endurecidas por séculos de embrutecimento espiritual.
    Os Exús são espíritos ainda na fase de elementares, pois evoluem dentro doe determinadas funçõeskármicas e se agrupam, dentro da Kimbanda em Falanges, subfalanges, Grupos, Subgrupos e colunas, atuando na cobrança do Karma Coletivo Grupal e Karma Individual exercendo sua ação da Luz para sombras e das Sombras para as Trevas.
    Nada acontece de cima para baixo de qualquer forma como se o Karma fosse algo sem rumoque se manifestasse espontaneamente. Existe direção e controle para tudo e quem o faz são osExús de Umbanda que aplicam as Leis Superiores aos casos Kármicos Coletivos Grupais eIndividuais Exú de Umbanda não é pois. um Ser Espiritual trevoso, um agente do mal.
    Pelo contrário é antes um agente da Justiça (amparador) e da magia celestes com responsabilidades definidas perante os tribunais Kármicos e executor fiel das Leis de Cima para Baixo.
    Os Exús atuam mais nos serviços terra-a-terra e talvez seja por isso que a maior parte das pessoas ainda acreditem ser ele o “rei da barganha”, que faz o mal em troca de alguma coisa. A verdade não é bem essa.
    Exú: trata é verdade dos problemas mais afeitos à matéria tais como demandas, trabalho, dinheiro, etc, mas um Exú jamais dará a alguém algo que este não mereça.

    Sabemos de casos em que pessoas pediram o mal para outro em “trabalho” para Exú e disseram ter conseguido seu intento. Na realidade, quem faz os trabalhos de morte e aceita em troca por eles elementos onde existe o sangue e outros, não são os Exús, mas sim os Kiumbas, entidades que odeiam os Exús, por serem por eles policiadas e que não perdem a oportunidade de se fazerem passar por eles, usando-lhes os nomes de “guerra“, exatamente para “sujarem-lhes” a imagem. MAGOS NEGROS: Os Kiumbas são seres trevosos, desequilibrados, e são seres enviados de determinados Magos Negros que habitam as mais baixas covas do sub-mundo astral e se identificam também. com determinados nomes de “guerra“, tais como Maria Padilha (não, leitor amigo, esta não épomba-gira, como muitos erroneamente acreditam). É uma maga-negra feroz, que destrói completamente a moral e o mediunismo dos aparelhos que utiliza.   Mestre Luis, Mestre Bem-te-vi, Zé Pilintra (este é outro mago negro que muitos acreditam ser Exú. Na verdade o primeiro “Zé-Pilintra“, dono de numerosa falange negra já foi desde algum tempo atrás capturado pelos Guardiões e está em prisões corretivas do astral inferior. Mas outros tomaram-lhe o “trono” e ainda utilizam seu nome), Mestre Pintassilgo e outros … muitos deles baixam nos “Reinados do Catimbó” e vez por outra mandam seus enviados acercarem os terreiros de Umbanda e de Candomblé que se utilizam de Matanças e que tenham uma moral duvidosa. Se acercam igualmente de todo e qualquer lugar onde possam encontrar uma brecha para agirem e mesmo nos centros de Kardec e em outros ambientes considerados “limpos”.   Alguns centros ditos Umbandistas, trabalham com a Magia Negra, diretamente com Kiumbas, seres que destroem os médiuns, em troca de algum favorecimento material o que causa graves doenças psicossomáticas, que podem custar ao espírito muitos séculos de recuperação. Os Kiumbas se manifestam dizendo-se EXÚ, usam o nome Kimbanda, como vingança, já que quando enfrentam o EXÚS sempre levam a pior.   Exército de Resgatadores:  Dissemos atrás que existem os Exús que atuam da Luz para as Sombras. Estes são os 49 chefes de Legião chamados também de “Cabeça-Grande“. Cada um deles comanda verdadeiros exércitos, que avança da Luz para as Sombras e das Sombras para as trevas.       São eles:

    Correspondência entre os Exus e as diferentes irradiações dos Orixás

        Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Oxalá:

    Exú Sete Encruzilhadas

    Comando negativo da linha

    Exú Sete Chaves

    intermediário para Ogum
    Exú Sete Capas
    intermediário para Oxossi

    Exú Sete Poeiras

    intermediário para Xangô
    Exú Sete Cruzes
    intermediário para Yorimá
    Exú Sete Ventanias
    intermediário para Yori
    Exú Sete Pembas
    intermediário para Yemanjá
        Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Yemanjá:

    Pombo Gira Rainha

    Comando negativo da linha

    Exú Sete Nanguê

    intermediário para Ogum
    Maria Mulambo
    intermediário para Oxossi

    Exú Sete Carangola

    intermediário para Xangô
    Exú Maria Padilha
    intermediário para Yorimá
    Exú Má-canjira
    intermediário para Yori
    Exú Maré
    intermediário para Oxalá
        Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Ibeiji:

    Exú Tiriri

    Comando negativo da linha

    Exú Toquimho

    intermediário para Ogum
    Exú Mirim
    intermediário para Oxossi

    Exú Lalu

    intermediário para Xangô
    Exú Ganga
    intermediário para Yorimá
    Exú Veludinho
    intermediário para Oxalá
    Exú Manguinho
    intermediário para Yemanjá
    Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Xangô:

    Exú Gira Mundo

    Comando negativo da linha

    Exú Meia-Noite

    intermediário para Ogum
    Exú Mangueira
    intermediário para Oxossi

    Exú Pedreira

    intermediário para Oxalá
    Exú Ventania
    intermediário para Yorimá
    Exú Corcunda
    intermediário para Yori
    Exú Calunga
    intermediário para Yemanjá
        Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Ogum:

    Exú Tranca-Ruas

    Comando negativo da linha

    Exú Tira-teimas

    intermediário para Oxalá
    Exú Veludo
    intermediário para Oxossi

    Exú Tranca-gira

    intermediário para Xangô
    Exú Porteira
    intermediário para Yorimá
    Exú Limpa-trilhos
    intermediário para Yori
    Exú Arranca-toco
    intermediário para Yemanjá
    Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Oxossi:

    Exú Marabô

    Comando negativo da linha

    Exú Pemba

    intermediário para Ogum
    Exú da Campina
    intermediário para Oxalá

    Exú Capa Preta

    intermediário para Xangô
    Exú das Matas
    intermediário para Yorimá
    Exú Lonan
    intermediário para Yori
    Exú Bauru
    intermediário para Yemanjá
         Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Yorimá:

    Exú Caveira

    Comando negativo da linha

    Exú do Lodo

    intermediário para Ogum
    Exú Brasa
    intermediário para Oxossi

    Exú Come-fogo

    intermediário para Xangô
    Exú Pinga-fogo
    intermediário para Oxalá
    Exú Bára
    intermediário para Yori
    Exú Alebá
    intermediário para Yemanjá

    Relações Existentes Entre as Linhas da Quimbanda e Umbanda:

    Uma vez se entendendo que há uma perfeita harmonia entre as ações dos elementos que compõe as linhas da Quimbanda e da Umbanda, cada elemento destes há um paralelo, um elo de ligação entre a Umbanda e a Quimbanda.
    Linhas da Umbanda Linhas da Quimbanda
    Linha de Oxalá Linha Malei
    Linha de Ogum Linha do Cemitério
    Linha de Oxossi Linha dos Caboclos Quimbandeiros
    Linha de Xangô Linha de Mossorubi
    Linha de Yorimá Linha da Almas
    Linha de Ibêji Linha Mista
    Linha de Yemanjá Linha Nagô

    Há ainda outros elos de ligação entre os Orixás da Umbanda com os Exus da Quimbanda. No caso de Ogum, há uma manifestação de Ogum, para corresponder com cada uma das sete Linhas da Quimbanda. Vejamos:

    Ogum de Malei Linha Malei
    Ogum Megê Linha do Cemitério

    Ogum Rompe Mato

     Linha dos Caboclos Quimbandeiros
     Linha de Mossorubi
    Ogum Megê Linha da Almas
    Ogum Xoroquê Linha Mista
    Ogum de Nagô Linha Nagô

    CICLOS DOS EXÚS:
    Estes são os chamados Exús de 32 Ciclo ou Exús coroados os quais recebem as ordens-diretas dos Orixás menores. Abaixo destes se encontram os Exús Cruzados. que recebem as ordens dos Guias e ainda abaixo destes se encontram os Exús Espadado, que recebem asordens diretas dos Protetores.

    Os Exús Cruzados são os Exús de 22 Ciclo e os Exús espadados são os Exús de 12 ciclo. Lembramos novamente e lembraremos sempre que nenhum Exú, em qualquer grau evolutivo se compraz com entregas onde existe o sangue Exú nenhum se alimenta de galinha crua e muito menos de suas emanações fluídicas  como querem explicar alguns.
    Quem assim procede são os Kiumbas. São estes que recebem estas entregas e se grudam no aura dos que as fazem para fomentá-los a sempre mantê-los “abastecidos“, forçando-os a realizar novas matanças e novas entregas ou arrumando motivos para isso.
    Lembramos ainda que os Exús coroados raramente incorporam, pois possuem funções importantíssimas no astral. Mas sempre que podem o fazem. quando encontram médiuns que já se livraram de certos estereótipos atribuídos aos Exús.

    Os Cruzados e Espadados são mais constantes e vêm sempre em nome dos “maiorais” como eles mesmo falam e embora sejam Exús de categoria inferior não vêm falando palavrões como marginais ou “dando de beber ao burro (médium)” de modo a deixar o aparelho sem condições até mesmo de andar. Os Exús igualmente não ficam rolando no chão babando e exibindo as mão em forma de garras.

    Suas incorporações são fortes e marcantes e suas auras realmente possuem uma constituição mais agressiva além do que, por atuarem na parte Inconsciente do médium, estes liberam determinados bloqueios e traumas, além de certa parte instintiva, que faz com que o médium sinta em si, uma espécie de ronco surdo que sobe das entranhas até as cordas vocais.

    Os leitores mais atentos já devem ter percebido que quanto maior for a carga de inconsciente que o médium carregue maior será o grau do estereotipo que ele botará para fora.
    Como?
    O inconsciente é a parte da mente humana onde estão armazenados desde os processos instintivos como já dissemos, até aos traumas, recalques e mesmo a violência. Num prisma mais abrangente. no inconsciente são armazenadas todas as lembranças das encarnações pregressas do indivíduo e este é praticamente desconhecido por todos nós. Ele é liberado apenas nos chamados atos falhos, nos sonhos e nas neuroses e psicoses. Pode-se entende agora que o médium mostra seu próprio interior quando da incorporação dos Exús guardiões. Estes realmente executam uma espécie de terapia, pois ao Permitirem que os médiuns coloquem suas mazelas para fora. estão os ajudando a se melhorar, para no futuro nas encarnações vindouras poderem ser bons veículos de suas palavras e poderem passar suas mensagens sem distorções.

    Para que o leitor possa se situar melhor perante as funções dos Exús Guardiões da Lei, daremos algumas das inúmeras funções dos sete Exús coroados para que o leitor entenda por onde andam as distorções acerca dos trabalhos destas entidades.
    Fonte:
    Revista UMBANDA Uma Religião Brasileira – por: W. da Mata e Silva; F.Rivas Neto; Diamantino Trindade; Wilson Rivas. Classificação dos Exús:
    Classificação Moral (Bem ou Mal):
    Exú Pagão ou Exú Batizado?
      Alguns espíritos, que usam indevidamente o nome de Exu, procuram realizar trabalhos de magia dirigida contra os encarnados. Na realidade, quem está agindo é um espírito atrasado. É justamente contra as influências maléficas, o pensamento doentio desses feiticeiros improvisados, que entra em ação o verdadeiro Exu, atraindo os obsessores, cegos ainda, e procurando trazê-los para suas falanges que trabalham visando a própria evolução.   O chamado “Exú Pagão” é tido como o marginal da espiritualidade, aquele sem luz, sem conhecimento da evolução, trabalhando na magia para o mal, embora possa ser despertado para evoluir de condição. Já o Exu Batizado, é uma alma humana já sensibilizada pelo bem, evoluindo e, trabalhando para o bem, dentro do reino da Quimbanda, por ser força que ainda se ajusta ao meio, nele podendo intervir, como um policial que penetra nos reinos da marginalidade.   Não se deve, entretanto, confundir um verdadeiro Exú com um espíritos zombeteiros, mistificadores, obsessores ou perturbadores, que recebem a denominação de Kiumbas e que, às vezes, tentam mistificar, iludindo os presentes, usando nomes de “Guias”.   Para evitar essa confusão, não damos aos chamados “Exus Pagões” a denominação de “Exu”, classificando-os apenas como Kiumbas. E reservamos para os ditos “Exus Batizados” a denominação de “Exu”.
    Classificação Pelos Pontos de Vibração dos Exus:
    • Exus do Cemitério: São Exus que, em sua maioria, servem à Obaluaiê. Durante as consultas são sérios, reservados e discretos, podem eventualmente trabalhar dando passes de limpeza (descarregando) o consulente. Alguns não dão consulta, se apresentando somente em obrigações, trabalhos e descarregos.
    •  Exus da Encruzilhada: São Exus que servem a Orixás diversos. Não são brincalhões como os Exus da estrada, mas também não são tão fechados como os do cemitério. Gostam de dar consulta e também participam em obrigações, trabalhos e descarregos.  Alguns deles se aproximam muito (em suas características) dos Exus do cemitério, enquanto outros se aproximam mais dos Exus da estrada.
    • Exus da Estrada: “São os mais “brincalhões”.  Suas consultas são sempre recheadas de boas gargalhadas, porém é bom lembrar que como em qualquer consulta com um guia incorporado, o respeito deve ser mantido e sendo assim estas “brincadeiras” devem partir SEMPRE do guia e nunca do consulente.  São os guias que mais dão consultas em uma gira de Exu, se movimentam muito e também falam bastante, alguns chegam a dar consulta a várias pessoas ao mesmo tempo. 
    Organização E Hierarquia Dos Exus:   Os Exus, estão também, divididos em hierarquias. Onde temos desde Exus muito ligados aos Orixás até aqueles Exus ligados aos trabalhos mais próximos às trevas. Os exus dividem-se hierarquicamente, em três planos ou três ciclos e em sete graus e a divisão está formada “de cima para baixo” :  

    Terceiro Ciclo:

    Contém o Sétimo, Sexto e Quinto graus. Neste Ciclo encontramos os chamados Exus Coroados. São aqueles que tem grande evolução, já estão nas funções de mando. São os chefes das falanges. Recebem as ordens diretas dos chefes de legiões da Umbanda. Pouco são aqueles que se manifestam em algum médium. Apenas alguns médiuns, bem preparados, com enorme missão aqui na Terra, tem um Exu Coroado como o seu guardião pessoal.  São os guardiões chefes de terreiro. Não mais reencarnam, já esgotaram há tempos os seus karmas.Sétimo Grau - Estão os Exus Chefe de Legião e para cada Linha da Umbanda, temos Um Exu no Sétimo Grau, portanto, temos Sete Exus Chefes de Legião   Sexto Grau - Estão os Exus Chefes de Falange. São Sete Exus Chefes de Falange subordinados a cada Exu Chefe de Legião, portanto, temos 49 Exus Chefes de Falange.   Quinto Grau - Estão os Exus Chefes de Sub-Falange. São Sete Exus Chefes de Sub-Falange subordinados a cada Exu Chefe de Falange, portanto, são 343 Exus Chefes de Sub-Falange.

    Segundo Ciclo:

    Contém o Quarto Grau. Neste Ciclo encontramos os chamados
    • Exus Cruzados ou Batizados. São subordinados dos Exus Coroados. Já tem a noção do bem e do mal.  São os exus mais comuns que se manifestam nos terreiros. Também, tem funções de sub-chefes. Fazem parte da segurança de um terreiro. O campo de atuação destes exus está nas sombras (entre a Luz e as Trevas). Estão ainda nos ciclos de reencarnações.

    Quarto Grau - Estão os Exus Chefes de Agrupamento. São Sete Exus Chefes de Agrupamento e estão subordinados a cada Exu Chefe de Sub-Falange, portanto, são 2401 Exus Chefes de Agrupamento.

    Primeiro Ciclo:

    Contém o Terceiro, Segundo e Primeiro Graus. Temos dois tipos de Exus neste ciclo :
    • Exus Espadados - São subordinados do Exus Cruzados. O seu campo de atuação encontra-se entre as sombras e as trevas.
    • Exus Pagãos (Kiumbas) - São subordinados aos exus de nível acima. São aqueles que não tem distinção exata entre o bem e o mal. São conhecidos, também como “rabos-de-encruza”. Aceitam qualquer tipo de trabalho, desde que se pague bem. Não são confiáveis, por isso.
    São comandados de maneira intensiva pelos Exus de hierarquias superiores. Quando fazem algo errado, são castigados pelos seus chefes, e querem vingarem-se de quem os mandou fazer a coisa errada.
    São kiumbas, capturados e depois adaptados aos trabalhos dos Exus.
    O campo de atuação dos Exus Pagãos, é as trevas. Conseguem se infiltrar facilmente nas organizações das trevas. São muito usados pelos Exus dos níveis acima, devido esta facilidade de penetração nas trevas.
    Terceiro Grau - Estão os Exus Chefes de Coluna. São Sete Exus Chefes de Coluna e estão subordinados a cada Exus Chefes de Agrupamento, portanto, são 16.807 Exus Chefes de Coluna.   Segundo Grau - Estão os Exus Chefes de Sub-Coluna. São Sete Exus Chefes de Sub-Coluna e estão subordinados a cada Exu Chefe de Coluna, portanto, são 117.649 Exus Chefes de Sub-Coluna.   Primeiro Grau - Estão os Exus Integrantes de Sub-Colunas e são milhares de espíritos nesta função. Os Exus, em geral, não são bons nem ruins, são apenas executores da Lei. Ogum, responsável pela execução da Lei, determina as execuções aos Exus.
    7º Grau7 – Chefes de Legião
    6º Grau49 – Chefes de FalangeExú Coroados
    5º Grau343 – Chefes de Sub-Falange
    4º Grau2401 – Chefes de GrupamentoExus Cruzados ou Batizados
    3º Grau16.807 – Chefes de Coluna
    2º Grau117.649 – Chefes de Sub-ColunaExu Espadados e Pagões
    1º Grau?-- Integrantes de Coluna


    Além destes aspectos já abordados, vale à pena mencionar os diversos níveis vibracionais, onde os espíritos ligados à Terra, habitam. Estes níveis são e foram criados de acordo com cada grau evolutivo. Os níveis estão mais relacionados com o mundo da consciência do que com o mundo físico, ou seja, são mais estados de consciência do que um lugar fisicamente localizado. Como são níveis gerados por espíritos ligados de alguma forma com a evolução da Terra, estes níveis estão vinculados ao próprio planeta. Portanto, quando vemos descrições de camadas umbralinas localizadas em abismos sob a crosta terrestre, devemos entender que embora elas estejam localizadas com estes espaços físicos, elas estão no lado espiritual deste plano físico. Temos então, Sete Camadas Concêntricas Superiores e Sete Camadas Concêntricas Inferiores. A divisão está sempre formada “de cima para baixo” : Camadas Concêntricas Superiores  Sétima, Sexta e Quinta Camadas - Zonas Luminosas Seres iluminados, isentos das reencarnações. Cumprem missões no planeta. Estão se libertando deste planeta, muitos já estagiam em outros mundos superiores. Quarta Camada - Zona de Transição Espíritos elevados, que colaboram com a evolução dos irmãos menores. Terceira, Segunda e Primeira Camadas - Zonas Fracamente Iluminadas A maioria dos espíritos que desencarnam, estão nestas camadas. Estão em reparações e aprendizados para novas reencarnações. Superfície: Espíritos encarnados Camadas Concêntricas Inferiores  Sétima Camada - Zona Sub-Crostal Superior Espíritos sofredores de um modo geral que serão em seguida socorridos e encaminhados a planos mais elevados para adaptação e aprendizado, antes de reencarnarem. Sexta, Quinta e Quarta Camadas - Zona das Sombras, Zona Purgatoriais ou de Regeneração Espíritos sofredores purgando parte de seus karmas, e que serão encaminhados o mais rápido possível à reencarnação para novas provas e expiações. Quarta Camada - Zona de Transição Entre as sombras e as trevas. Zona de seres revoltados e dementados.Terceira, Segunda e Primeira Camadas - Zona das Trevas ou Zona Sub-Crostal Inferior Estes espíritos estão em estágio de insubmissos, renitentes e rebelados às Leis Divinas. Não reconhecem Deus como o Ser mais superior. A atuação dos Exus, está praticamente em todas as camadas inferiores, com exceção das Terceira, Segunda e Primeira Camadas, que eventualmente eles “descem” para missões especiais ou mandam os rabos-de-encruza, pois estão mais “ambientados” com as baixas e perniciosas vibrações. Não que os Exus não possam “descer” até lá, mas porque é desnecessário criar uma guerra com os seres infernais, apenas porque se invadiu aquelas zonas. A maioria dos livros espíritas, que tratam do assunto dos níveis vibracionais, não chega sequer a mencionar algo além das camadas intermediárias ou médio e alto umbral. Descrevem na maioria das vezes as camadas que ficam as sombras e não as trevas, pois os espíritos que fazem tais incursões não podem ou não devem “baixar” mais, pois somente cabe aos exus, espíritos especializados “descer” tanto. Salvador - BA – BR
    POMBA-GIRA QUEM É A POMBA-GIRA? Quem são as Guardiãs Pomba-Gira? Vamos falar bem reduzidamente o que seriam as Guardiãs Pomba-Gira: Se os Guardiões Exus são marginalizados, mais ainda são as senhoras Guardiãs Pomba-Gira (grafa-se também Pomba-Jira).   Há muitas pessoas que as associam com prostitutas, ou simplesmente, mulheres que gostam de se expor aos homens e sedentas por sexo. As distorções e preconceitos são características dos seres humanos quando eles não entendem corretamente algo, querendo trazer ou materializar conceitos abstratos, distorcendo-os. Essas nossas irmãs em Deus nada mais são que espíritos desencarnados, que como os Exus, viveram na Terra e hoje, por afinidade fluídica, militam como mais uma corrente de trabalho portentosa dentro da Umbanda.   Não temos culpa se certos “médiuns” medíocres dão passividade para Kiumbas ou mesmo fingem uma incorporação de uma Guardiã Pomba Gira, para serem aceitos e terem suas opiniões e mesmo trejeitos aceitos pela comunidade religiosa. Com certeza, exteriorizam somente aquilo que suas mentes doentias acham serem certos.   Dentro da hierarquia das Guardiãs Pomba-Gira, estão divididas em níveis diversas outras Pomba-Gira, da mesma forma que as demais legiões. É claro que em alguns casos podem ocorrer que uma delas em alguma encarnação tivesse passado pela experiência dolorosa de ser uma prostituta, mas, isso não significa que as Guardiãs Pomba-Gira tenham sido todas prostitutas e que assim agem. As que foram, hoje estão integradas na Umbanda, a fim de realizarem a grande reforma íntima através da caridade e do mediunismo redentor.   Não se torna uma Guardiã Pomba Gira pelo simples fato de se ter errado perante as Leis Divinas. Afinal, quem nunca errou na vida? Ser uma Guardiã Pomba Gira exige preparo, conhecimento, magia, discernimento e muito amor. É mais uma corrente de trabalho espiritual na Umbanda, onde espíritos seletos atuam na faixa vibratória que mais se afinizam.   As Guardiãs Pomba-Gira não são a representação da sexualidade e nem da sensualidade, mas sim frenam os desvios sexuais dos seres humanos e direcionam essas energias para a construção da espiritualização, evitando a destruição espiritual e material de cada ser. A sensualidade desenfreada destrói o homem: a volúpia. Este vício moral é alimentado pelos encarnados e desencarnados pela invigilancia das Leis de Deus, criando um ciclo ininterrupto, caso as Pomba-Gira não atuem neste campo emocional, frenando-o e redirecionando-o. As Guardiãs Pomba-Gira são grandes magas e conhecedoras das fraquezas humanas. São executoras da Lei.   Cabem as Guardiãs Pomba-Gira esgotar os vícios ligados ao sexo, equilibrando o ser humano. Gostaríamos de salientar que as Guardiãs Pomba-Gira não são Exus fêmeas como dizem muitas das literaturas encontradas, mas sim, é mais uma das hierarquias de Deus; Tudo que se refere ao estudo sobre os Guardiões Exus vale também para as Guardiãs Pomba-Gira, ou seja, elas se manifestam na Umbanda através de espíritos incorporados as suas hierarquias. Elas são elementos mágicos ativados através de oferendas e elementos religiosos quando ativados num Templo. Também são agentes da Lei de Deus que podem ser ativadas pela Lei Maior. Os Guardiões Exus vitalizam/desvitalizam, as Guardiãs Pomba-Gira esgotam o emocional ou despertam o desejo. As Guardiãs Pomba-Gira de Trabalho são tão maravilhosas quanto os Guardiões Exus. Elas realizam curas até mesmo de enfermidades dadas como incuráveis, desmancham trabalhos de magia negra, resolvem problemas, nos dão conselhos preciosos de como bem dirigir nossas vidas, enfim, fazem tudo pelas pessoas bem intencionadas que as procuram para a prática da caridade. È uma pena que ainda existam pessoas que as procuram somente para desmanchar relacionamentos amorosos ou conquistar alguém. Como nossos irmãos Guias Espirituais, os Guardiões Exus, e as Guardiãs Pomba-Gira, quando terminarem o círculo de trabalhos espirituais e permanência nas correntes de trabalho na Umbanda irão para uma faixa de espiritualidade superior, e serão conduzidas pelas Leis do Eterno Amor para o seu verdadeiro destino, a sua perfectibilidade e a verdadeira e eterna felicidade nas moradas do Senhor. Por isso, considerando que as Guardiãs Pomba-Gira são criaturas como nós, filhos de Deus, considerando que bem orientadas por Orixás, e Guardiãs Pomba-Giras de Lei trabalhem somente para o bem, devemos tratá-las com todo carinho, respeito, procurar compreendê-las e conduzi-las (as não esclarecidas. As que estão iniciando o seu caminho rumo a espiritualidade maior) para o caminho da redenção.   A Legião das Guardiãs Pomba-Giras atuam: • Nas descargas para neutralizar correntes de elementares/elementais vampirizantes, bem conhecidos como súcubus e íncubos, que atuam negativamente, por meio do sexo, fazendo de suas vitimas verdadeiros escravos das distorções sensuais. • Cortando trabalhos de magia sexual negativa e as ditas “amarrações”, pois ninguém deve se ligar a ninguém a força. Isto é considerado pelos tribunais do astral como desvio de carma e as sanções para aqueles que realizam tais trabalhos são as mais sérias possíveis. • Cortando trabalhos de magia negra, pois não é permitido pela Lei Divina que as pessoas ou espíritos possam fazer o que bem entenderem, ainda mais ferindo o Livre Arbítrio alheio. • Neutralizando correntes e trabalhos feitos para desmanchar casamentos. • Trabalham incansavelmente no combate as hostes infernais, quando estas procuram atingir injustamente quem não merece. • Trabalham no combate das viciações que escravizam os médiuns, protegendo-os das investidas do baixo astral, quando se fazem merecedores. • Fazem à proteção dos Templos onde habita a Espiritualidade Maior, principalmente onde se pautam pelo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. • Combatem a leviandade, promovendo a firmeza que trás o respeito através do poder da palavra. Tais atributos e a harmonia de seus efeitos combinados, trazem a serenidade mental, onde os Sagrados Orixás atuam, pois quem não sabe o que pensa, não sabe o que diz. • Trabalham incansavelmente fazendo de um tudo para que seus médiuns possam galgar graus conscienciais luminosos perante a espiritualidade maior, equilibrando-os, auxiliando-os, mas jamais são coniventes com os desmandos de seus pupilos, corrigindo-os, às vezes, implacavelmente, para que possam enxergar seus erros e retomarem a senda da Luz. • A Guardiã Pomba Gira, como entidade de trabalho, não são e nunca foram espíritos lascivos, tenebrosos, viciados, atrasados e maldosos, como muitos querem doutrinar. • A Guardiã Pomba-Gira atuam no combate aos Kiumbas (na medida do possível ajudando-os a evoluir) e no combate das energias desvairadas e viciantes; nas cobranças e nos reajustamentos emotivos e passionais; nas cobranças da Lei Divina (carma); nas emoções e nas ações dos indivíduos. • As Guardiãs Pomba-Gira conhecem profundamente os mais íntimos segredos dos seres humanos e que apesar dos absurdos em seus nomes, ainda assim, nos auxiliam a evoluir, esperando pacientemente à hora de nossa maturidade. • A Guardiã Pomba-Gira são valorosas Guardiãs da Antiga Sabedoria, da Tradição da Umbanda. Não são vulgares. São guerreiras, heroínas, protetoras e grandes magas. Lembre-se que nenhuma Guardiã Pomba Gira jamais atua negativamente na vida de qualquer ser, promovendo desuniões, feitiçarias, magias negras, fofocas, maledicências e toda sorte de coisas ruins. Infelizmente a maldade é um imperativo humano. Quando um ser humano, negativamente invoca o poder da Guardiã Pomba Gira, não é a entidade em si que vai atender ao seu pedido maléfico, mas sim, a força Pomba Gira, força magnética ígnea telúrica, que vai ser acionada e utilizada. Seria a mesma coisa que utilizarmos à força elétrica; podemos usá-la para o bem ou para o mal. A força é a mesma, mas não tem vontade própria. Vamos agora usar de um artigo maravilhoso (de autor desconhecido), adaptando-o, e encontraremos que é a fiel imagem da uma mulher. E isso é ser a Senhora Guardiã Pomba Gira: SER GUARDIÃ POMBA GIRA…. • Ser Guardiã Pomba Gira é viver mil vezes em apenas uma vida, é lutar por causas perdidas e sempre sair vencedora, é estar antes do ontem e depois do amanhã, é desconhecer a palavra recompensa apesar dos seus atos. • Ser Guardiã Pomba Gira é caminhar na dúvida cheia de certezas, é correr atrás das nuvens num dia de sol e alcançar o sol num dia de chuva. • Ser Guardiã Guardiã Pomba Gira é chorar de alegria e muitas vezes sorrir com tristeza, é cancelar sonhos em prol de terceiros, é acreditar quando ninguém mais acredita, é esperar quando ninguém mais espera. • Ser Guardiã Pomba Gira é identificar um sorriso triste e uma lágrima falsa, é ser enganada e sempre dar mais uma chance, é cair no fundo do poço e emergir sem ajuda. • Ser Guardiã Pomba Gira é estar em mil lugares de uma só vez, é fazer mil papéis ao mesmo tempo, é ser forte e fingir que é frágil pra ter um carinho. • Ser Guardiã Pomba Gira é se perder em palavras e depois perceber que se encontrou nelas, é distribuir emoções que nem sempre são captadas. • Ser Guardiã Pomba Gira é comprar, emprestar, alugar, vender sentimentos, mas jamais dever, é construir castelos na areia, vê-los desmoronados pelas águas e ainda assim amá-las. • Ser Guardiã Pomba Gira é saber dar o perdão, é tentar recuperar o irrecuperável, é entender o que ninguém mais conseguiu desvendar. • Ser Guardiã Pomba Gira é estender a mão a quem ainda não pediu, é doar o que ainda não foi solicitado. • Ser Guardiã Pomba Gira é não ter vergonha de chorar por amor, é saber a hora certa do fim, é esperar sempre por um recomeço. • Ser Guardiã Pomba Gira é ter a arrogância de viver apesar dos dissabores, das desilusões, das traições e das decepções. • Ser Guardiã Pomba Gira é ser mãe dos seus filhos e dos filhos dos outros e amá-los igualmente. • Ser Guardiã Pomba Gira é ter confiança no amanhã e aceitação pelo ontem, é desbravar caminhos difíceis em instantes inoportunos e fincar a bandeira da conquista. • Ser Guardiã Pomba Gira é entender as fases da lua por ter suas própria fases. É ser “nova” quando o coração está a espera do amor, ser “crescente” quando o coração está se enchendo de amor, ser “cheia” quando ele já está transbordando de tanto amor e “minguante” quando esse amor vai embora. • Ser Guardiã Pomba Gira é hospedar dentro de si o sentimento de perdão, é voltar no tempo todos os dias e viver por poucos instantes coisas que nunca ficaram esquecidas. • Ser Guardiã Pomba Gira é cicatrizar feridas de outros e inúmeras vezes deixar as suas próprias feridas sangrando. • Ser Guardiã Pomba Gira é ser princesa aos 20, rainha aos 30, imperatriz aos 40 e especial a vida toda. • Ser Guardiã Pomba Gira é conseguir encontrar uma flor no deserto, água na seca e labaredas no mar. • Ser Guardiã Pomba Gira é chorar calada as dores do mundo e em apenas um segundo já estar sorrindo. • Ser Guardiã Pomba Gira é subir degraus e se os tiver que descer não precisar de ajuda, é tropeçar, cair e voltar a andar. • Ser Guardiã Pomba Gira é saber ser super-homem quando o sol nasce e virar cinderela quando a noite chega. • Ser Guardiã Pomba Gira é acima de tudo um estado de espírito, é ter dentro de si um tesouro escondido e ainda assim dividi-lo com o mundo.  REVELAÇÃO DE UMA GUARDIÃ POMBA GIRA Mensagem psicofônica da Senhora Pomba Gira Sete Encruzilhadas – Médium: Luely Figueiró Nós andamos agitadas nas encruzilhadas, não estamos gostando do que certos escritores mal informados, que apenas cruzam pelos terreiros e que nem possuem a experiência de incorporação ou de trabalhos dentro da curimba de uma Pomba Gira, se arvoram em falar sobre nossa corrente, sobre nossos trabalhos.   Nos comentam como se fossemos lixo do astral ou menos espíritos apaixonados. Como se bastasse apenas nos oferecer elementos físicos, grosseiros materiais, para fazermos a vontade de todas as criaturas da face da Terra. Pessoas que escrevem sem possuir o menor gabarito espiritual para comentar os mistérios da hierarquia de um espírito. Nós estamos realmente agitadas no espaço que ocupamos e muito trabalhamos para formar a corrente deste aparelho, para que ela pudesse verdadeiramente receber a vibração e o ensinamento de todo o trabalho de uma Pomba Gira. Vocês não duvidem e não confundam as coisas que vocês vêem por aí. Aprendam se quiserem a ter o merecimento da proteção e do trabalho de uma Pomba Gira, seus giras. Pomba Gira é gente já com gabarito de incorporação no exército divino, e quem já se encontra incorporado, como elemento deste exército, para a elaboração de evoluções maiores; não é sofredor nem lixo do espaço e nem desavisado e muito menos apegado a elementos tão físicos e baixos como querem nos apregoar. Tenham mais humildade para aceitar as coisas do grandioso Senhor, que elabora no dia-a-dia a evolução dos universos siderais e não só o vosso. Não pensais, pois, que sois o centro do universo, porque não sois não. Em todas as horas, em todos os momentos, o grande Senhor nos envia provas através, até mesmo, de aparelhos mediúnicos que nos deixam perplexos, bestializados com os que eles fazem como simples aparelhos e nada mais.   Porque eles são meros veículos de forças maiores; aqui, neste planeta, somos espíritos de certa envergadura, com milênios de aprendizado; nos chamam de Pomba Gira; poderiam ter-nos colocado outros nomes, não importam os nomes que nos tenham colocado. Nós vos saudamos aqui na Terra, com esta indumentária; respeiteis e saibais compreender nossa natureza espiritual, para que não sejam publicadas aberrações que visem apenas ao comércio medíocre sobre o trabalho sagrado e santificante que traçamos para evolução de todos os paranormais em comunicação conosco.   Isto é de rara importância para todos aqueles que dirigem seus médiuns, seus filhos. É de rara importância, queridos, que coloqueis sempre a vossa destra sobre os nossos enviados, filhos de Santo, com uma certa humildade e conhecimento de que todos os irmãos que se comunicam através de sua coroa são espíritos já incorporados num exército divino para elaborar uma tarefa de amor e fraternidade e de respeito por vossas vidas e não de desrespeito, porque este sempre parte de vós e não de nós. Se existem nos planos do baixo astral desrespeitosos Eguns, é porque daqui partiram assim sem o merecimento de serem incorporados em nossas milícias. São esses pobres vagabundos do astral menor que necessitam mais de orações e caridade. Vós, como chefes de terreiro e guias menores da Terra, que colocais sobre o peito montões de colares para assim serem reconhecidos, pois sois vós que devereis organizar os trabalhos. Sim, de mãos interpostas conosco, os irmãos do outro lado.   Para estes Eguns e sofredores, estes vagabundos, desairosos e desvairados dos espaços, sejam socorridos e não enlameados com vossos propósitos mesquinhos. Muitas vezes, tomados por vossas vaidades, não sabeis reconhecer quem pisa dentro de vosso terreiro. Aquele que é sofredor, aquele que é um mistificador de uma Pomba Gira verdadeira. Porque a vossa vaidade vos cobre os olhos e vosso peito envergado de tantas “guias” não vos permite ver; cuidado… Por hoje é só. Dona Sete.   Fonte: Texo cedido gentilmente por Pai Juruá. Trecho extraído do livro: Exus e Pomba Gira na Umbanda – Simbolismo e Função – Autoria do Pai Juruá 
    OS KIUMBAS:
    O QUE É KIUMBA? (Quiumba)
    Existem casos de médiuns desavisados, não doutrinados, ignorantes e não evangelizados, que abrem as portas da sua mediunidade para a atuação de Kiumbas, verdadeiros marginais do baixo astral, que tudo farão para ridicularizar não só o médium, como o terreiro, bem como a Umbanda.
    Em muitas incorporações onde a entidade espiritual ora se faz presente como Guia Espiritual e hora como Guardião, ou é a presença do animismo do médium (arquétipo) ou é a presença de um Kiumba. Vamos estudar e entender a atuação dos Kiumbas, para uma fácil identificação:
    Kiumba nada mais é do que o marginal do baixo astral, e também é considerado um tipo de obsessor. Espíritos endurecidos e maldosos, que fazem o mal pelo simples prazer de fazer, e tudo o que é da luz e o que é do bem querem a todo custo destruir. Esses espíritos, “Kiumbas”, vivem onde conhecemos por “Umbral” onde não há ordem de espécie alguma, onde não há governantes e é cada um por si. Muitas vezes são recrutados através de propinas, pelos magos negros para que atuem em algum desafeto.
    Na Umbanda existe uma corrente de luz, denominada de Boiadeiros, que são especializados em desobsessão, na caça e captura desses marginais (os Kiumbas os temem muito), e os trazem até nós para que através da mediunidade redentora possam ser “tratados”, ou seja, terem seu corpo energético negativo paralisado através da incorporação e serem levados para as celas prisionais das Confrarias de Umbanda, onde serão devidamente esgotados em seus mentais e futuramente se transformarão em um sofredor, e ai sim estarão prontos a serem encaminhados aos Postos de Socorros Espirituais mais avançados, pois já se libertaram através do sofrimento, de toda a maldade adquirida.
    O processo que devemos realizar para evitar os nossos irmãos “Kiumbas” é o mesmo da obsessão, mas, o processo para “tratá-los” é peculiar a Umbanda e cada caso é analisado particularmente pelos Guias Espirituais que utilizam diversas formas (que conhecemos como arsenal da Umbanda) para desestruturar as manifestações deletérias negativas desses nossos irmãos.
    Como identificar um Kiumba incorporado
    O que infelizmente observamos na mediunidade de muitos é a abertura para a atuação dos verdadeiros Kiumbas, se fazendo passar por Exus, Pombas Gira ou mesmo Guias Espirituais, trazendo desgraças na vida do médium e de todos que dele se acercam.
    Notem bem, que um Kiumba, ser trevoso e inteligente, somente atuará na vida de alguém, se esta pessoa for concomitante com ele, em seus atos e em sua vida. Os afins se atraem.
    O médium disciplinado, doutrinado e evangelizado, jamais será repasto vivo dessas entidades. Lembre-se que o astral superior é sabedor e permite esse tipo de atuação e vibração para que o médium acorde e reavalie seus erros, voltado à linha justa de seu equilíbrio e iniciação.
    Como os Kiumbas são inteligentes, quando atuam sobre um médium, se fazendo passar por um Guardião, e imediatamente assumem um nome, que jamais será os mesmos dos Guardiões de Lei, pois são sabedores da gravidade do fato, pois quando assumirem um nome exotérico ou cabalístico iniciático de um verdadeiro Guardião, imediatamente e severamente serão punidos.

    Por isso vemos, infelizmente, em muitos médiuns, esses irmãos do baixo astral incorporados, mas é fácil identificá-los. Vamos lá:
    • Pelo modo de se portarem: são levianos, indecorosos, jocosos, pedantes, ignorantes, maledicentes, fofoqueiros e sem classe nenhuma;
    • Quando incorporados: machões, com deformidades contundentes, carrancudos, sem educação, com esgares horrorosos e geralmente olhos esbugalhados. Muitos se portam com total falta de higiene, babando, rosnando, se arrastando pelo chão, comendo carnes cruas, pimentas, ingerindo grandes quantidades de bebidas alcoólicas, fumando feito um desesperado, ameaçando a tudo e a todos. Geralmente ficam com o peito desnudo (isso quando não tiram à roupa toda); utilizam imensos garfos pretos nas mãos.
    • Geralmente, nos ambientes em que predominam a presença de Kiumbas, tudo é encenação, fantasia, fofoca, libertinagem, feitiçaria pra tudo, músicas (pontos) ensurdecedoras e desconexas, nos remetendo a estarmos presentes num grande banquete entre marginais e pessoas de moral duvidosa.
    • Nesses ambientes, as consultas são exclusivamente efetuadas para casos amorosos, políticos, empregatícios, malandragem, castigar o vizinho, algum familiar, um ex-amigo, o patrão, etc. Os atendimentos são preferenciais, dando uma grande atenção aos marginais, traficantes, sonegadores, estelionatários, odiosos, invejosos, pedantes, malandros, alcoólatras, drogados, etc., sempre incentivando, e dando guarida a tais indivíduos, procedendo a fechamento de corpos, distribuindo “patuás e guias” a fim de protegê-los. Com certeza, neste ambiente estará um Kiumba como mentor.
    • Certamente será um Kiumba, quando este pedir o nome de algum desafeto para formular alguma feitiçaria para derrubá-lo ou destruí-lo.
    • Os Kiumbas costumam convencer as pessoas de que são portadoras de demandas, magias negras, feitiçarias, olhos gordos, invejas, etc. inexistentes, sempre dando nome aos bois, ou seja, identificando o feitor da magia negra, geralmente um inocente (parente, amigo, pai de santo, etc.) para que a pessoa fique com raiva ou ódio, e faça um contra feitiço, a fim de pretender atingir o inocente para derrubá-lo. Agindo assim, matam dois coelhos com uma cajadada só: afundam ainda mais o consulente incauto que irá criar uma condição de antipatia pelo pretenso feitor da magia, e pelo inocente que pretendem prejudicar.
     Os Kiumbas invariavelmente exigem rituais disparatados, e uma oferenda atrás da outra, todas regadas a muita carne crua, bebidas alcoólicas, sangue e outros materiais de baixo teor vibratório. Atentem bem, que sempre irão exigir tais oferendas constantemente, a fim de alimentarem suas sórdidas manipulações contra os da Luz, e sempre efetuadas nas ditas encruzilhadas de rua ou de cemitério, morada dos Kiumbas.
    • Pelo modo de falarem: impróprio para qualquer ambiente (impropérios); É impressionante como alguém pode se permitir ouvir palavrões horrorosos, a guiza de estarem diante de uma pretensa entidade a trabalho da luz.
    • Pelas vestimentas: são exuberantes, exigentes e sempre pedem dinheiro e jóias aos seus médiuns e consulentes.
    • ·         Os Kiumbas incitam a luxúria, incentivam às traições conjugais, as separações matrimonias e geralmente quando incorporados, gostam de terem como cambonos, alguém do sexo oposto do médium, geralmente mais novos e bonitos (imaginem o que advirá disso tudo).
    • ·         Os Kiumbas, nos atendimentos, gostam de se esfregarem nas pessoas, geralmente passando as mãos do médium pelo corpo todo do consulente, principalmente nas partes pudentas.
    • ·         Os Kiumbas incorporados conseguem convencer algumas consulentes, que devem fazer sexo com ele, a fim de se livrarem de possíveis magias negras que estão atrapalhando sua vida amorosa. E ainda tem gente que cai nessa.
    • ·         Se for uma Kiumba, mesmo incorporadas em homens, costumam alterar o modo de se portarem, fazendo com que o homem fique com trejeitos femininos e escrachados. Costumam também travestir o médium (homem) com roupas femininas com direito a maquiagem e bijuterias.
    • ·         Os Kiumbas atendem a qualquer tipo de pedido, o que um Guia Espiritual ou um Guardião de Lei jamais fariam. Ao contrário, eles bem orientariam o consulente ou o seu médium, da gravidade e das conseqüências do seu pedido infeliz.
    • ·         Os Kiumbas (e só os Kiumbas) adoram realizar trabalhos de amarração, convencendo todos de que tais trabalhos são necessários e que trarão a pessoa amada de volta (ledo engano quem assim pensa). Esquecem-se de que existe uma Lei Maior que a tudo vê e a tudo provê. Se fosse assim tão fácil “amarrar” alguém, certamente não existiriam tantos solteiros por este país afora.
    • ·         Os Kiumbas fazem de um tudo para acabar com um casamento, um namoro, uma família, incitando as fofocas, desuniões e magias negras.
    • ·         No caso de Kiumbas se passando por um Guia Espiritual ou mesmo um Guardião, geralmente utilizam de nomes exdrúluxos, indecorosos e horrorosos, remetendo a uma condição inferior (os nomes que daremos são do nosso conhecimento. Não é invenção da nossa parte. Veja como a coisa é grave).

    CUIDADO COM OS NOMES USADOS: 
    Sempre que encontrarem algum espírito incorporado, dizendo-se ser um Guia Espiritual, um Guardião e utilizando algum nome esdrúxulo, que remete a inferioridade, à condição de baixa moral, tenha cuidado;
    Com certeza é a presença de um Kiumba, ou é puro animismo do médium.
    Exemplos:

    No caso de Guardiãs: (Falsas Pomba-Giras)
    • Pomba Gira Leviana;
    • Pomba Gira Assanhada;
    • Pomba Gira Prostituta;
      Pomba Gira Mariposa;
    • Pomba Gira da Desgraça
    • Pomba Gira Rameira;
    • Pomba Gira Siririca;
    • Pomba Gira Profana;
    • Pomba Gira Presepeira;
    • Pomba Gira Rumbiera;
    • Pomba Gira Peralta;
    • Pomba Gira Mundana;
    • Pomba Gira Pervertida;
    • Pomba Gira Preguiçosa;
    • Pomba Gira da Perdição;
    • Pomba Gira Alcoviteira;
    • Pomba Gira Sete Camas;
    • Pomba Gira Cortesã;
    • Pomba Gira Catingosa;
    • Pomba Gira Cheirosa;
    • Pomba Gira Faladora;
    • Pomba Gira Sete Canas;
    • Pomba Gira Sete Cornos;
    • Pomba Gira Sete Maridos;
    • Pomba Gira Pega Homem;
    • Pomba Gira Sete Maridos;
    • Pomba Gira Pega Homem;
    • Pomba Gira Vira Ponto;
    • Pomba Gira Apaixonada;
    • Pomba Gira Arrebentada;
    • Pomba Gira Azarenta;
    • Pomba Gira Bandalha;
    • Pomba Gira Vale Tudo;
    • Pomba Gira Quebra Pé;
    • Pomba Gira Gargalhada;
    • Pomba Gira Arrepiada;
    • Pomba Gira Cantora;
    • Pomba Gira Elegante;
    • Pomba Gira Pomposa;
    • Pomba Gira Dengosa;
    • Pomba Gira Adúltera;
    • Pomba Gira Boneca;
    • Pomba Gira Vaidosa;
    • Pomba Gira Boêmia;
    • Pomba Gira Galhofeira;
    • Pomba Gira Lufa-Lufa;
    • Pomba Gira Libertina;
    • Pomba Gira Sedutora;
    • Pomba Gira Ordinária;
    • Pomba Gira Sete Homens;
    • Pomba Gira Encrenqueira;
    • Pomba Gira Traiçoeira;
    • Pomba Gira Trapaceira;
    • Pomba Gira Espantalho;
    • Pomba Gira Perdida;
    • Pomba Gira Rita Piranha;
    • Pomba Gira Amarra Pé;
    • Pomba Gira Tagarela;
    • Pomba Gira Tatuada;
    • Pomba Gira Egoísta;
    • Pomba Gira Bate Boca;
    • Pomba Gira Maltrapilha;
    • Pomba Gira Galante;
    • Pomba Gira Furacão;
    • Pomba Gira Provocante;
    • Pomba Gira Maria Tentação;
    • Pomba Gira Lambe Lambe;
    • Pomba Gira Mete Mete;
    • Pomba Gira Tatuada;
    • Pomba Gira Egoísta;
    • Pomba Gira Devassa;
    • Pomba Gira Valentona;
    • Pomba Gira do Cais;
    • Pomba Gira Bolero;
    • Pomba Gira Carpideira;
    • Pomba Gira Sapeca;
    • Pomba Gira Tagarela;
    • Pomba Gira Vagabunda;
    • Pomba Gira Tirana;
    • Pomba Gira Puxa Vista;
    • Pomba Gira Puritana;
    • Pomba Gira Invejosa;
    • Pomba Gira Exótica;
    • Pomba Gira Curiosa;
    • Pomba Gira Traiçoeira;
    • Pomba Gira Sabe Tudo;
    • Pomba Gira Valente;
    • Pomba Gira Taberneira;
    • Pomba Gira Remelexo;
    • Pomba Gira Puxadeira;
    • Pomba Gira Pingonheira;
    • Pomba Gira Explosiva;
    • Pomba Gira Beiçola;
    • Pomba Gira Assobiadeira;
    • Pomba Gira Lava Trapos;
    • Pomba Gira da Favela;
    • Pomba Gira da Luxúria;
    • Pomba Gira Gulosa;
    • Pomba Gira Invejosa;
    • Pomba Gira Pintora;
    • Pomba Gira Bate Punha;
    • Pomba Gira Assobiadeira;
    • Pomba Gira Lava Trapos;
    • E assim por diante……

    No caso de Guardião: (Falsos Exús)
    • Exú Trapaceiro;
    • Exú Tagarela;
    • Exu Lambada;
    • Exú Fracalhão;
    • Exú Gostoso;
    • Exú Falador;
    • Exú Suspiro;
    • Exú Come Tuia;
    • Exú Acadêmico;
    • Exú Galhofeiro;
    • Exú Arruaça;
    • Exú Alegria;
    • Exú Cheira-Cheira;
    • Exú Malandrinho;
    • Exú Encrenca;
    • Exú Topada;
    • Exú Rola-Rola;
    • Exú Rola Dura;
    • Exú Amarra-pé;
    • Exú Risada;
    • Exú Pé de Valsa;
    • Exú Mexe-Mexe;
    • Exú Pisa Macio;
    • Exú Vale Ouro;
    • Exú Vertigem;
    • Exú Cospe-Cospe;
    • Exú Vital;
    • Exu Come-Fogo;
    • Exú Corneta;
    • Exú Baderna;
    • Exú Trapalhada;
    • Exú Cortezão;
    • Exú Trapaceiro;
    • Exú Some-Some;
    • Exú Renegado;
    • Exú Capeta;
    • Exú Vagaroso;
    • Exú Desengano;
    • Exú Faiscador;
    • Exú Grinalda;
    • Exú Malandro;
    • Exú Esfarrapado;
    • Exú Clareza;
    • Exú Bexiga;
    • Exú Bordoada;
    • Exú Zé Pilintra;
    • Exú Requenquela;
    • Exu Omulú…
      E assim por diante

    Obs: No caso de Exu Omulú, porque será que não existe então um Exu Ogum, Exu Oxossi, Exu Xangô, Exu Oxalá???.
    Nesse caso específico, houve uma massificação no sentido de se considerar o Orixá Omulú como Exu, pelo seu campo de atuação, que seria a morte, e ter sua energia ligada pelos encarnados, ao cemitério.
    Então observam que a manifestação de uma entidade com nome de Exu Omulú, ou é um espírito atrasado que assim aje (Kiumba), ou é a mente ignorante do médium (animismo).
    E assim por diante.
    No caso de se passarem por Guias Espirituais, com certeza utilizarão nomes simbólicos que representam condições humanas degradantes, como:
    • Caboclo da Saia Curta
    • Caboclo da Pá Virada
    • Preto Velho Beiçudo
    • Preta Velha Barriguda
    • Baiano 7 Facadas
    • Baiano da Morte Certeira
    • Baiano Cabra Macho
    • Baiana Risca Faca
    • Boiadeiro Lascado
    • Boiadeiro Pé de Boi
    • Boiadeiro Laço da Morte
    • Marinheiro da Morte
    • Marinheiro da Cana Forte
    • Marinheiro do Rum
    • Cigano da Sorte Grande
    • Cigano da Azaração
    • Cigana Mendinga
    • E assim por diante…

    Então. É fácil identificá-los, pois utilizam nomes esdrúxulos, horrorosos, que nos remetem a coisas ruins, e que nada tem há ver com a espiritualidade superior e muito menos com nomes simbólicos que representam os Poderes Reinantes do Divino Criador.
    Obs: Dificilmente encontraremos Kiumbas se passando por Caboclos, Pretos Velhos, Crianças ou Linha do Oriente.
    Já os Baianos, Boiadeiros, Marinheiros e Ciganos, favorecem aos médiuns incautos a presença de Kiumbas mistificando, pelo fato de terem o arquétipo totalmente desvirtuados pelos humanos.
    É só observar. É simples verificar a presença de um Kiumba em algum médium. Tudo o que for desonesto, desamor, desunião, invigilância aos preceitos ensinados pelo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, personalismos, egocentrismo, egolatrias, sexo, falta de moral, etc., com certeza estará na presença de um Kiumba.
    Cuidado meus irmãos. Não caiam nessa armadilha.
    Quando um Kiumba se agarra vibratoriamente em um médium, dificilmente largarão aqueles que os alimentam com negatividade, dando-lhes guarida por afinidade.
    Segunda Ordem – Bons Espíritos

    Características gerais: predominância do espírito sobre a matéria. Desejo do bem. Suas qualidades e seu poder em fazer o bem estão relacionados com o adiantamento que alcançaram, uns tem a ciência, outros a sabedoria e a bondade. Os mais avançados reúnem o saber às qualidades morais.
    Compreendem Deus e o infinito e já desfrutam da felicidade dos bons.
    Os bons espíritos classificam-se em quatro grupos principais:
    • Espíritos benevolentes – sua qualidade dominante é a bondade.
    • Espíritos sábios – são os que se distinguem, principalmente, pela extensão dos seus conhecimentos.
    • Espíritos de sabedoria – caracterizam-se pelas qualidades morais da natureza mais elevada.
    • Espíritos superiores – reúnem a ciência, a sabedoria e a bondade. Sua linguagem não revela, senão benevolência, e é constantemente digna, elevada e freqüentemente sublime. Comunicam-se voluntariamente com aqueles que procuram a verdade de boa fé e que têm alma desligada dos laços terrenos.
    Distanciam-se daqueles que se animam só de curiosidade ou que a influência da matéria afasta da prática do bem.
    A esta ordem pertencem os espíritos designados pelas crenças vulgares sob o nome de gênios bons, gênios protetores e espíritos do bem.
    Na Umbanda são conhecidos como Caboclos, Pretos Velhos, Crianças, Baianos, Boiadeiros, Marinheiros, Ciganos, Sakaangás, Yaras Mirins, Sereias, Povo do Oriente e Guardiões de Lei.
    Primeira Ordem – Espíritos Puros

    Caracteres gerais – não sofrem influência da matéria. Superioridade intelectual e moral absoluta em relação aos espíritos de outras ordens.
    Primeira classe (classe única) – Percorrem todos os graus da escala e se despojaram de todas as impurezas da matéria. Tendo alcançado a soma de perfeições de que é suscetível a criatura, não têm mais que suportar provas ou expiações. Não estando mais sujeitos à reencarnação (venceram a Roda de Samsara, segundo os Hindus) em corpos perecíveis, é para ele a vida eterna que desfrutam no seio de Deus.
    Gozam de inalterável felicidade. São os mensageiros e ministros de Deus, cujas ordens executam para a manutenção da harmonia universal. Comandam a todos os espíritos que lhe são inferiores, ajudam-nos a se aperfeiçoarem e lhes designam as suas missões. Assistir os homens em suas aflições concitá-los ao bem ou à expiação das faltas que os mantêm distanciados da felicidade suprema é, para eles, uma doce ocupação.

    São designados à vezes sob o nome de “anjos”, “arcanjos” ou “serafins”.
    Os homens podem entrar em comunicação com eles, mas bem presunçoso seria aquele que pretendesse tê-los constantemente às suas ordens.
    Por Espíritos Puros temos os Guias Espirituais no grau de espíritos ascencionados, que perfazem a direção e a manifestação dos Sagrados Orixás.

    Fonte: tópico do fórum da RBU.
    Trecho extraído do livro: AS HIERARQUIAS ESPIRITUAIS DE TRABALHO NA UMBANDA – FORMAS DE APRESENTAÇÃO E ATUAÇÃO DOS GUIAS ESPIRITUAIS NA UMBANDA – Pai Juruá – no prelo.

     DIVERGÊNCIAS NAS INTERPRETAÇÕES:



    A Umbanda reivindica propósitos sempre voltados para o bem, com um discurso claramente cristão. A Quimbanda, embora seus teóricos neguem, é fortemente associada à magia negra, aos trabalhos para o mal e, além de para espíritos humanos desencarnados, como na Umbanda, também se utiliza de seres não-humanos:

    Larvas (criações da mente dos sacerdotes-magistas), demônios (Espíritos obcessores) e elementais.



    Nas palavras do místico e escritor José Roberto Romeiro Abrahão (*):